Suspeita de antraz fecha correio da Casa Branca

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de novembro de 2003 as 14:27, por: cdb

O Serviço Postal dos Estados Unidos fechou uma agência que administra correspondência para o governo em Washington para fazer testes de antraz.

Exames de rotina em uma agência dos correios da Marinha americana descobriram traços de uma substância que pode ser antraz, segundo uma porta-voz do Departamento de Segurança Interna.

Outras 11 agências postais na área de Washington foram fechadas também para novos testes. Nenhum trabalhador dos correios teria sido exposto ao veneno.

A agência da Marinha administra correspondência para departamentos federais e para a Casa Branca.

Amostras

Monitores de ar da agência do correio fechada detectaram “pequenas quantidades de elementos patogênicos, possivelmente antraz”, disse Rachael Sunbarger, do Departamento de Segurança Interna.

Foi feita investigação mais aprofundada de oito amostras do ar, e um dos testes deu resultado positivo para antraz. Novos testes estão sendo processados.

Funcionários da Marinha disseram que poucas pessoas trabalhavam na agência. Elas passarão por testes como medida de precaução, mas a chance de que eles tenham sido expostos é “muito improvável”.

“Quase toda a correspondência processada lá é irradiada, então, é provável que a substância não estivesse ativa”, disse o tenente Corey Shultz.

Mortes

As outras 11 agências que estão sendo fechadas eram atendidas pela mesma empresa contratada para transportar correspondência para o centro da Marinha.

“Em meio a abundância de precaução, queremos ter certeza que cobrimos tudo”, disse o porta-voz Mark Saunders.

Cerca de 1.500 funcionários foram afetados e seriam transferidos para outros centros por enquanto, segundo ele.

Pelo menos cinco pessoas morreram – inclusive dois trabalhadores dos correios em Washington – e 17 outras ficaram seriamente doentes depois de uma série de ataques com antraz nos Estados Unidos, em outubro de 2001.

Cartas contendo esporos de antraz foram enviadas a organizações de mídia em Nova York e Flórida. Outras forradas de antraz foram enviadas aos gabinetes de dois senadores, em Washington.

Os responsáveis não foram presos.

Desde os ataques, o Serviço Postal gastou milhões de dólares para fazer testes e instalar equipamento para esterilizar correspondências.