SUS investiga sistema de transplantes do Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 14 de outubro de 2003 as 22:49, por: cdb

Um grupo de técnicos do Departamento Nacional de Auditorias do Sistema Único de Saúde (Denasus) começa na próxima semana uma auditoria em todo o sistema de transplantes do estado do Rio de Janeiro.

O Ministério da Saúde determinou o trabalho depois de uma visita técnica à Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos do Estado do Rio de Janeiro (CNCDO).

Por causa de denúncias de favorecimento de pacientes e de desperdício de órgãos, a auditoria vai investigar principalmente o funcionamento dos hospitais Geral de Bonsucesso e Universitário Clementino Fraga Filho e a Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos do Estado do Rio de Janeiro.

O Denasus já iniciou a preparação da auditoria com o levantamento de informações técnicas sobre pacientes, doadores e instituições vinculadas ao sistema de transplantes do Rio.
O departamento recebeu orientação do Ministério da Saúde para que o trabalho seja o mais rápido possível. A expectativa é que a auditoria termine em dois meses.

Entre as denúncias que levaram à auditoria está a de que o coordenador do Rio Transplante, Joaquim Ribeiro, não teria obedecido à ordem cronológica da fila de espera por órgãos e favorecido o paciente Jaime Ariston, irmão do secretário estadual de Transportes, Augusto Ariston. No Hospital Clementino Fraga Filho, a denúncia é de não-aproveitamento de órgãos que teriam sido captados no Hospital Geral de Bonsucesso.