Supostos rebeldes das Farc matam cinco indígenas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 21:10, por: cdb

Cinco indígenas colombianos da comunidade huitoto, do distrito sulino de Putumayo, foram assassinados por supostos rebeldes das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), que teriam proibido os índios de pescar em um rio, denunciou neste sábado, uma organização aborígine.

Um comunicado da Organização Regional Indígena de Putumayo (Ozip), divulgado em Puerto Asís, informa que os cinco aborígines estariam pescando no rio Caquetá em outubro, a cerca de 700 quilômetros do sul de Bogotá.

Os cinco membros da aldeia Jiri-jiri, localizada perto do município de Puerto Leguízamo, teriam sido sequestrados pelos supostos guerrilheiros, “que disseram que a pesca para fins comerciais estava proibida”, denunciou a Ozip.

Depois de buscas inúteis e de contatos com os rebeldes, eles disseram aos dirigentes da comunidade huitoto que parassem de procurar os índios, “pois eles já estavam mortos”.

As vítimas foram identificadas como Wilson Enrique Muñoz, Marcelino Muñoz, Lizandro Castro, Wilfrido Mengaño e Rivelino López.

A Organização Nacional Indígena da Colômbia (Onic) já havia pedido várias vezes que os grupos armados “tirassem do conflito” as comunidades aborígines, assim como já tinha denunciado as violações aos direitos humanos cometidas pelos guerrilheiros.