Suposta tumba de Colombo será explorada

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de janeiro de 2005 as 19:14, por: cdb

Um mistério de cem anos sobre onde estão os ossos de Cristóvão Colombo pode estar mais perto de ser resolvido.

Pesquisadores espanhóis dizem ter recebido permissão para abrir uma sepultura na República Dominicana onde estariam enterrados os restos do explorador.

Nos últimos dois anos, a equipe de cientistas vem testando lascas dos ossos de outros restos mortais que estão na cidade de Sevilha, na Espanha, e que alegadamente também seriam de Colombo.

Eles esperam finalmente determinar quais dos dois restos mortais é o verdadeiro por meio de testes de DNA.

Sem conclusão

Esta é a primeira vez que o governo da República Dominicana dá permissão a pesquisadores para testar os restos mortais que estão em Santo Domingo.

A equipe, que inclui um renomado geneticista forense e dois professores espanhóis, no começo só terá permissão para examinar visualmente os ossos de 500 anos de idade.

Depois disso, os cientistas poderão dizer ao governo da República Dominicana se os ossos estão em condições para que sejam extraídas amostras de DNA.

Em junho de 2003, os cientistas removeram duas caixas de ossos que alegadamente seriam de Colombo e seu filho Hernando de um túmulo na catedral de Sevilha, com o objetivo de fazer testes de DNA.

Os resultados foram comparados com amostras de restos mortais de parentes de Colombo, também enterrados em Sevilha, mas os resultados não foram conclusivos.

Os pesquisadores acreditam que os ossos de Santo Domingo podem ser decisivos para decifrar o mistério, desde que não estejam muito deteriorados pelo tempo.

‘Corpo errado’

O professor Marcial Castro disse à agência de notícias Associated Press que o vice-ministro de Cultura da República Dominicana deu permissão para que a sepultura seja aberta em fevereiro.

“Esse é um grande passo do governo da República Dominicana”, disse ele.

“Só olhando para um osso, um geneticista sabe quais são as probabilidades de conter DNA que pode ser utilizado.”

Quando Colombo morreu, em 1506, seus restos mortais foram enterrados na América, como era sua vontade.

No entanto, nenhuma igreja de grande importância existia na região, na época, e, por isso, o explorador foi enterrado em Valladolid, na Espanha.

Em 1537, seus restos mortais foram enviados a Santo Domingo para serem enterrados.

Depois disso, porém, a Espanha, então o Poder colonial, determinou sua remoção devido à instabilidade política na ilha.

Em 1877, trabalhadores que escavavam o interior da catedral de Santo Domingo desenterraram um caixão contendo ossos e nele estava escrito o nome de Colombo.

Esses restos mortais estão enterrados em um monumento a Colombo, em Santo Domingo.

A República Dominicana diz que os espanhóis levaram o corpo errado.