STJ é finalista no 10º Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 25 de junho de 2012 as 06:25, por: cdb

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) está entre os finalistas da décima edição do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça, promovido pelo Fórum Nacional de Comunicação e Justiça. A solenidade de apresentação dos finalistas e entrega da premiação será realizada no encerramento do Congresso Brasileiro dos Assessores de Comunicação da Justiça (Conbrascom), em Fortaleza (CE), no dia 29.

O Tribunal está concorrendo com os projetos Facebook.com/STJNotícias, Calendário Institucional do STJ, Cidadania no Ar e a reportagem especial VT Preso/Engano. O projeto Facebook.com/STJnotícias, classificado na categoria “Inovação”, é um canal adicional que o Tribunal mantém com a sociedade. O serviço foi pensado como meio de ampliação do alcance das informações, integrando o conteúdo multimídia disponível e consolidando sua distribuição.

Na categoria “Publicação Especial” está o Calendário Institucional do STJ, que em 2012 traz o tema “Dez Anos dos Projetos Socioeducativos”, com ilustrações de estudantes do ensino fundamental do Distrito Federal. Atualmente, o STJ, por meio da Coordenadoria de Memória e Cultura, promove quatro projetos socioeducativos direcionados a públicos diversos, com o objetivo de que esses brasileiros possam vivenciar a prática da lei na rotina de uma corte superior.

Os projetos gráficos são produzidos pela Coordenadoria de Programação Visual, unidade da Secretaria de Comunicação Social responsável pela elaboração de diversos impressos e peças eletrônicas do STJ.

Radiojornal

O Tribunal concorre também na categoria “Programa de Rádio” com o Cidadania no Ar, que tem a finalidade de traduzir a linguagem jurídica para que o cidadão possa compreender as decisões do STJ e o que ele faz em benefício da sociedade. O programa é produzido semanalmente, em três blocos, além de quadros entre os boletins para dinamizar e dar mais leveza ao radiojornal. Todo material é produzido pela Coordenadoria de Rádio do STJ.

A reportagem especial VT Preso/Engano, classificada na categoria “Reportagem de TV”, foi divulgada em fevereiro deste ano, e mostra a injustiça que ainda ocorre no sistema prisional brasileiro, ao abordar o caso de um homem que ficou 19 anos preso por ser homônimo do verdadeiro assassino.

A reportagem aponta a importância de se debater a eficiência e o grau de comprometimento existente na máquina pública. O relato, no entanto, não suscita apenas essa discussão. O caso do presidiário serviu também como ponto de partida para outro debate: é possível combater a injustiça, ainda que seja preciso recorrer às mais altas cortes do país. A reportagem foi produzida pela Coordenadoria de TV do STJ.

O Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça foi lançado em 2003 e tem o objetivo de “contribuir para o aperfeiçoamento dos produtos e serviços das assessorias de comunicação, a partir do destaque de experiências bem sucedidas na área, reconhecendo e valorizando as práticas destinadas ao desenvolvimento da cidadania, à democratização das informações institucionais e à inclusão social. Procura ainda difundir pesquisas científicas e trabalhos acadêmicos com foco na comunicação pública”, segundo informa o Conbrascom em seu site oficial.