Sonda envia primeiras imagens de lua de Saturno

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 15 de janeiro de 2005 as 11:54, por: cdb

As primeiras imagens da superfície de Titã, a maior lua de Saturno, revelaram uma inesperada mistura de gelo e líquido. As tomadas foram feitas assim que a sonda Huygens pousou na sexta-feira.

A primeira de três fotos de Titã mostrou o que pareceu ser blocos de gelo, canais secos, praias e ilhas, paisagem que fez lembrar as de Marte e da própria Terra.

– Acho que nenhum de nós poderia esperar… esse tipo de material enviado, mas isso é muito parecido com as surpresas que já tivemos antes – disse Al Diaz, administrador associado de ciência da Nasa.

A missão Cassini-Huygens, de 3 bilhões de dólares, é um empreendimento conjunto das agências espaciais européia, italiana e norte-americana. Ela foi lançada em 1997, do Cabo Canaveral, nos EUA, para estudar Saturno, seus anéis, suas luas e sua magnetosfera.

Em dezembro, a nave Cassini liberou a sonda Huygens para uma viagem de três semanas na direção de Titã, que culminou com o pouso. Funcionários da Agência Espacial Européia disseram que a sonda parece ter caído em uma superfície sólida, não líquida.

Os cientistas disseram ter tido problemas para recuperar os dados de um experimento sobre vento, mas que têm esperanças de receber informações de um outro estudo.

– Por causa disso, podemos olhar para o céu e, quando virmos Saturno, podemos dizer: ‘Fomos lá, deixamos nossa marca’ -, disse Carolyn Porco, líder da equipe de imagens cientificas da Cassini – Estou ansiosa por mais uma década de exploração, e isso é só o começo.

A Cassini, que serve de ligação entre a Huygens e a Terra, enviou sinais mostrando que terminara de receber os dados e que se voltaria para a Terra para começar a enviá-los, o que poderia levar três horas.

Devido à natureza delicada da missão, a Cassini gravou os dados da Huyges em quatro sistemas. A sonda, de 320 quilos, levou duas horas para atravessar a atmosfera de Titã. Os cientistas esperam passar anos analisando os resultados.

– Tudo isso precisa ser desemaranhado, juntado, e aí os cientistas, como tal, vão discutir sobre o que isso significa, como juntamos as peças do nosso lugar no universo e como surgimos – disse David Southwood, diretor de programas científicos da Agência Espacial Européia.

Os cientistas acreditam que as reações químicas orgânicas que ocorrem em Titã são semelhantes aos processos que deram origem à vida na Terra, 4 bilhões de anos atrás. Sua atmosfera é constituída principalmente de nitrogênio, mas a temperatura na superfície é de insuportáveis -180 graus Celsius.

A sonda foi projetada para descer girando, o que lhe permite fazer imagens panorâmicas da densa atmosfera de Titã e de sua paisagem.

Além dos seis instrumentos científicos que medem os componentes da atmosfera de Titã, a Huygens transporta um gravador de som e uma lâmpada para buscar sinais de líquido na superfície.

Titã é supostamente a única lua do Sistema Solar que tem uma atmosfera – e um céu amarelo. Esse astro é maior do que Mercúrio e Plutão. Acredita-se que haja metano e etano líquidos em sua superfície, mas a forte neblina faz com que ninguém saiba exatamente o que a sonda vai encontrar.

A Huygens, que deve enviar cerca de 750 imagens e outras leituras científicas, deve seu nome ao cientista holandês que descobriu Titã, em 1655.