Somente autópsia revelará o que matou Barnard

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 2 de setembro de 2001 as 16:42, por: cdb

O médico sul-africano Christiaan Barnard, primeiro cirurgião do mundo a realizar um transplante de coração, morreu neste domingo, aos 78 anos, no balneário de Paphos, na ilha de Chipre.

As causas da morte são ainda desconhecidas, mas fontes do hospital de Paphos, para onde Barnard foi levado, disseram que será realizada uma autópsia nesta segunda-feira.

O médico sul-africano tornou-se famoso em 1976, ao surpreender o mundo com um transplante de coração, cirurgia realizada no hospital Groote Schuur, na Cidade do Cabo.

Na cirurgia, o dr. Barnard implantou o coração de uma jovem de 25 anos, morta em acidente de trânsito, em um paciente de 53 anos, Louis Washkanky, que chegou a sobreviver 12 dias.

Após a cirurgia pioneira, Barnard e sua equipe multiplicaram os transplantes, permitindo a pessoas com graves enfermidades cardíacas viver mais um pouco.

Por suas atividades médicas, encerradas em 1983, Barnard recebeu inúmeros títulos e prêmios.

Filho de um pastor evangélico, Chris Barnard nasceu a 8 de novembro de 1922 em Beaufort West, uma pequena cidade do sudoeste da África do Sul. Começou a carreira médica no hospital de Groote Schuur, tendo completado a especialidade em cardiologia nos Estados Unidos, em 1958, na Universidade de Minesota, em Minneapolis.

A cirurgia realizada em 1967 foi o início de uma vida privada movimentada.

Sua primeira mulher, Aletta Louw, pediu o divórcio dois anos após o primeiro transplante realizado por Barnard, que não fez mistério, em sua autobiografia, das inúmeras conquistas. O cirurgião, por exemplo, revelou ter tido um relacionamento com a atriz italiana Gina Lollobrigida.

Em 1970, ele se casou com Barbara Zoellner, uma herdeira de 19 anos, com quem teve dois filhos e de quem se divorciou em 1982.

Em seguida casou-se, em 1988, com Karin Setzkorn, com apenas 18 anos, quando ele já estava completando 66 anos. Também tiveram dois filhos, até o divórcio, em 2000.

O dr. Barnard instalou-se na Áustria, depois de ter sofrido muito com as repercussões negativas na imprensa de seu divórcio com Karin. Ele retornou em junho passado à Cidade do Cabo para dar assistência médica a um menino russo de dois anos, com um problema arterial grave.