Sol e previsão de tempo bom melhoram situação dos municípios afetados pelas chuvas no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de janeiro de 2011 as 10:10, por: cdb

Rio de Janeiro – A previsão de tempo bom nas próximas 24 horas melhora a situação dos municípios atingidos pelas chuvas no Rio de Janeiro desde o fim do ano passado, principalmente na região serrana e no norte e noroeste do estado, de acordo com o diretor geral da Defesa Civil do estado, coronel Marcos Rossi.

“No norte e noroeste do estado, os rios baixaram e o nível encontra-se dentro de sua calha, o que afasta, pelo menos por enquanto, os riscos de que venham a transbordar. Também na região serrana não há previsão de chuva nas próximas 48 horas e a tendência é de que a situação volte à normalidade.”

Mesmo torcendo para que o sol continue firme e que haja um fim de semana tranquilo, o diretor geral da Defesa Civil disse que o órgão está atenta á possibilidade de que ocorra pancadas de chuvas, comum nesta época do ano em razão do forte calor, o que pode complicar a situação.

“Nós estamos permanentemente em contato com os moradores para, em caso de chuva forte em qualquer localidade cuja população viva em áreas de risco, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros possam atender prontamente e até retirar os moradores em caso de agravamento da situação e, desta forma, minimizando os riscos”.

O coronel Marcos Rossi disse, ainda à Agência Brasil, que na próxima semana haverá uma reunião entre a Defesa Civil do estado e a Defesa Civil do município para traçar um trabalho de monitoramento, mais de perto da situação das chuvas nas favelas mapeadas pela Geo-Rio e que estão localizadas em áreas de risco.

“Há a possibilidade de remanejamento de algumas famílias instaladas nas áreas mais críticas, mas essa é uma decisão da Defesa Civil do município. A reunião da próxima semana será exatamente para definir as ações e, por isso, o assunto será discutidos entre a Geo-Rio e a Defesa Civil estadual e municipal”, disse Rossi.

O levantamento feito pela Geo-Rio feito a partir de abril do ano passado e divulgado ontem (7) indica a existência, somente na capital, de 117 favelas em áreas criticas com pelo menos 17.244 em situação de alto risco de desabamentos. O estudo mostra ainda que nove favelas têm 100% de suas moradias (totalizando 1.345 casas) em encostas com alto risco de deslizamento.

As chuvas que caíram na cidade desde o fim do ano passado deixaram um saldo de cinco pessoas mortas, das quais três no município de Petrópolis. Pelo menos 68.594 pessoas foram atingidas pelas chuvas, 495 das quais permanecem desalojadas e 189 desabrigadas.

No norte e noroeste do estado, quatro municípios chegaram a decretar estado de emergência devido à transbordamento de rios e enxurradas: Santo Antônio de Pádua, onde ocorreram duas mortes; Bom Jesus de Itabapoana; Italva; e Cambuci. Embora as águas já tenham começado a baixar nestes municípios, ainda existem 28 desalojados e nove desabrigados em Italva; 90 desalojados e 20 desabrigados em Santo Antônio de Pádua; e 28 desalojados em São Francisco de Itabapoana.

 

Edição: Aécio Amado

Leia também:

Motoristas devem ficar atentos para rodovias interditadas por estragos causados pelas chuvas