Sobram vagas no Sistema Nacional de Emprego

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de abril de 2004 as 19:42, por: cdb

Com mais de dez milhões de desempregados no país, sobram vagas no Sistema Nacional de Emprego (Sine), segundo o presidente do Fórum Nacional de Secretários do Trabalho (Fonset) e secretário de Trabalho do Rio Grande do Sul, Edir Oliveira. Ele alega que o principal motivo seria a falta de investimento na qualificação profissional do trabalhador.

Oliveira informou que, em 2003, somente 120 mil pessoas receberam algum curso de qualificação do governo. Ele disse que, nos últimos três anos, os recursos vêm gradativamente diminuindo, passando de R$ 450 milhões para os atuais R$ 70 milhões.

O ministro do Trabalho e Emprego, Ricardo Berzoini, admitiu que o governo gasta pouco com a qualificação. Segundo ele, o problema da má formação do trabalhador não é apenas causada pela falta de recursos, mas principalmente a questão da qualidade. “No Brasil temos um déficit de talvez trinta a quarenta anos de baixa qualificação para determinadas funções. O papel do governo é justamente tentar reduzir esse déficit e buscar aproximar o trabalhador daquela vaga”, disse.

O secretário de Trabalho no Paraná, Padre Roque, afirmou que, em seu estado, sobra cerca de 10 mil vagas de emprego sem trabalhadores qualificados, principalmente na área de metalurgia, construção civil e confecção.

Ele informou que, em 2003, dos 1,8 milhão de desempregados no Paraná, apenas cinco mil receberam algum curso. Ele disse, também, que no estado foram criadas 400 mil vagas, mas somente 103 mil conseguiram um emprego.