Sob tucanos, o crime cresce em SP. Pior, o descalabro é em tudo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 26 de junho de 2012 as 13:01, por: cdb

Cresce de um ano para outro, de um mês para o seguinte, está uma barbaridade o descalabro da administração tucana na área de segurança pública. Divulgados hoje, os índices crecentes de aumento da violência, do número de homicídios e de roubo de carros nos últimos três meses, e do ano passado para este, são aterradores.

Se fosse só aí, se a gente pudesse se concentrar na cobrança somente do aumento da violência, já seria trágico. Mas é em tudo. É o apagão nos transportes públicos, com o metrô da capital e o sistema de trens de subúrbio da região metropolitana da Grande são paulo entrando em pane toda semana, quando não mais de uma vez na mesma semana. É na educação, falência absoluta atestada a cada semestre por aqueles testes de aferição periódica da qualidade do ensino.

A cada anúncio de crise maior, seja na educação, na saúde, nos transportes, etc, o tucano Geraldo Alckmin – governador do Estado pela 3ª vez – vem com paliativos. Aliás, este nem é bem o termo, porque Geraldinho vem é com factóides, com projetos de impacto que não saem do papel.Como não andam, não são executados e nem saem do papel, a população não tem sequer paliativo.

Governos do PSDB fracassam em todas as áreas

Na saúde, o atendimento precário e demorado, os corredores dos hospitais cheios de macas com pacientes à espera de vagas, a privatização da rede em marcha é coisa indescritível. Alagamentos, quando não enchentes que trazm o caos e paralisam a capital ante uma chuva mais forte ou outra fraca, mas demorada, viraram rotina.

As explicaçõe e justificativas, então, são dignas de figurar em qualquer antologia de absurdos ou obviedades.Para as enchentes, tucanos e cia – como o ex-governador e agora candidato a prefeito José Serra e o parceiro dele na capital, o prefeito Gilberto kassab – têm repetido que elas decorrem de chuva demais. José, inclusive, mandou a população rezar.

Para o aumento da violência, pérolas como a de hoje, do delegado-geral de polícia, Marcos Carneiro Lima. Em nome da secretaria de Segurança Pública, portanto em nome do governador Alckmin, que é o chefe da Pasta, Carneiro Lima afirmou que o o aumento da violência é natural e está dentro da margem aceitável, levando em conta o tamanho da população.

Só faltou pedir, também para rezar, não é? Solução que é bom mesmo, plano, projeto para tanto, nada. Nenhum. Aos mais crédulos, resta um consolo: se a coisa continuar e vier um aumento muito maior da violência, o governador virá a público para anunciar mais um daqueles planos fantásticos dele para a área, que não saem do papel e, ao final, de resultado concreto, ninguém sabe e ninguém viu.