Soares se diz vítima de desestabilizadores

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 24 de outubro de 2003 as 00:48, por: cdb

O ex-secretário nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Luiz Eduardo Soares, afirmou na última quinta-feira que foi vítima de pessoas (que não quis identificar) interessadas em ‘destroçar a política de segurança pública’ do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
 
 Na avaliação do ex-secretário, que pediu demissão do cargo na última terça-feira, funcionários do órgão ‘plantaram’ e deram a conotação de nepotismo à notícia de que ele havia contratado os serviços de consultoria da atual mulher Miriam Krezengier Azambuja Guindani e de sua ex-esposa, a socióloga Bárbara Musumeci Soares.

– São pessoas que trabalharam para me desestabilizar através da manipulação política. Mas agora, com a minha saída, o ministro Márcio Thomaz Bastos (Justiça) vai colocar ordem na casa – disse Soares, em Salvador, onde participou de um debate no 18º Congresso Brasileiro de Magistrados.

Na palestra que fez, Soares disse que estava passando por um momento especialmente difícil de sua vida. Mas afirmou que fez questão de comparecer ao evento, programado antes da demissão. Depois, negou que tenha praticado qualquer irregularidade e afirmou que Miriam e Bárbara foram contratadas por suas qualificações.
 
– É preciso conhecer caso a caso antes de fazer acusação de nepotismo – disse.

Soares queixou-se do fato de o governo Lula de ‘se pautar pela mídia’ que, na opinião dele, em alguns casos vem trabalhando para desgastar o Planalto. O ex-secretário confirmou ter pedido demissão para ‘evitar que questões tópicas pudessem vulnerabilizar o governo Lula’.