SMS combate a leishmaniose no município

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 as 14:44, por: cdb

26/01/2012 – 15:14SMS combate a leishmaniose no município

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vem desenvolvendo açõs de combate a Leishmaniose. O município é endêmico para este tipo de doença, mas agora lida também com a visceral, bem mais complexa e de difícil diagnóstico, visto que seus sintomas confundem-se com os de muitas doenças, enquanto a forma mais comum, por ser cutânea, pode ser diagnosticada por qualquer profissional de saúde bem treinado. Os nove casos de leishmaniose tegumentar registrados nesses primeiros dias de 2012 estão confirmados e os doentes em tratamento.
 

Segundo a enfermeira Maurícia Ramalho, coordenadora da Divisão Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, no ano passado, Marabá contabilizou 90 casos de leishmaniose tegumentar. Todos tratados adequadamente. Dois casos de leishmaniose visceral foram diagnosticados no município, ambos importados (Estado do Tocantins e Novo Repartimento). Não houve registro de mortes em consequência da doença.
 

Conforme a enfermeira, os sintomas da leishmaniose visceral são comuns a inúmeras doenças, são eles: febre associada a aumento do fígado e do baço, palidez da pele e dos olhos (icterícia), fraqueza, edemas e emagrecimento. Daí a dificuldade de um diagnóstico preciso, porque esses sintomas também são comuns à leucemia, esquistossomose, malária, brucelose, doença de chagas, linfoma, anemia falciforme, dentre outras. “Por isso que é recomendável, na suspeita de quaisquer das doenças com os mesmos sintomas, pedir exame também para a leishmaniose visceral”.
 

Em se tratando de leishmaniose, uma das referências nessa doença em Marabá, doutor Emerson Castelli, veio a óbito esta semana, vítima de enfarte em Teresina, causando grande perda à saúde pública local.