Sindicatos de Santos planejam greve de 24 horas contra guerra

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de março de 2003 as 08:57, por: cdb

Sindicatos que representam os trabalhadores do Santos, onde funciona o maior porto do Brasil e da América Latina, estão planejando uma greve de 24 horas, pela paz, com o movimento incluindo um boicote a navios e bens de bandeiras norte-americana ou britânica, anunciou nesta segunda-feira o dirigente sindical Marcos Duarte.

“Os sindicatos de Santos se reunirão para votar propostas sobre como manifestar o nosso desejo de paz e nossa repulsa à guerra iminente no Iraque”, declarou Duarte.

Representantes de 70 sindicatos, incluindo os de petroleiros, químicos, bancários, estivadores, e metalúrgicos foram convidados para a reunião, marcada para a manhã desta terça-feira.

De acordo com Duarte, muitos dirigentes sindicatos já manifestaram forte apoio à proposta de greve.

“Nós não sabemos quando faremos a greve, mas votaremos as propostas”, disse. “Eu quero ressaltar que a greve não será um protesto contra os Estados Unidos ou a Grã-Bretanha, mas sim contra a guerra e pela paz”.

“Nós estamos propondo que nenhum participante da greve beba Coca-Cola ou faça lanches num McDonald’s”, acrescentou.

Duarte disse que a idéia da greve foi inspirada em notícias dando conta de donos de restaurantes norte-americanos e britânicos boicotando vinhos franceses, em protesto contra a ameaça da França de vetar uma nova resolução da ONU que daria o sinal verde aos Estados Unidos para liderar uma guerra contra o Iraque.

O protesto não é nacional, cobrindo apenas o município de Santos, segundo Duarte, que acrescentou esperar que outros grupos seguissem esse exemplo.