Simon elogia atuação de Dilma na política internacional 

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 21 de março de 2011 as 15:15, por: cdb

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) disse, nesta segunda-feira (21), da tribuna, que a presidente Dilma Rousseff “saiu-se muito bem em seu primeiro gesto internacional”. Simon elogiou tanto a postura frente ao presidente norte-americano Barack Obama, durante a visita deste ao país no último final de semana, como também a abstenção do Brasil na votação, no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), sobre o estabelecimento de uma zona de exclusão aérea na Líbia.

O parlamentar disse que a presidente, no discurso frente ao presidente dos Estados Unidos, “foi muito sóbria, objetiva, mostrou a posição do país, falou em pé de igualdade, mostrou as nossas teses, os nossos princípios”. Também considerou “muito feliz” a iniciativa de Dilma de convidar todos os ex-presidentes da República para a recepção a Obama no Itamaraty. E elogiou a decisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de não comparecer, por ser aquele “o momento da Dilma”.

_ Tenho a convicção de que governo e oposição, a unanimidade deve ter gostado muito do pronunciamento, da maneira correta e firme com que ela falou ao país – afirmou o senador.

Pedro Simon disse ter sido “um ato de coragem” a abstenção brasileira na votação do Conselho de Segurança da ONU. Para ele, o país não tinha por que votar contra, uma vez que praticamente toda a comunidade internacional é contra a permanência do ditador Muamar Kadafi no comando da Líbia; e nem votar a favor, seguindo a tradição da política externa brasileira de não interferência na auto-determinação dos povos.

Simon elogiou a manutenção, pela presidente Dilma, da política de fortalecimento das relações com países da América do Sul e da África, iniciada no governo do presidente Lula. Disse considerar “bom que Lula e Dilma estejam afinados”. Ele lamentou que os Estados Unidos jamais tenham tido “um gesto de simpatia, de carinho” para o Brasil ou para os outros países da América Latina.

Em aparte, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) elogiou o pronunciamento do colega.

Da Redação / Agência Senado