Sharon passa por terceira cirurgia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 6 de janeiro de 2006 as 09:28, por: cdb

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, foi levado de volta à mesa de operações nesta sexta-feira após uma tomografia ter detectado novos sangramentos em seu cérebro. Segundo o diretor do hospital Hadassah, onde Sharon está internado, Shlomo Mor-Yosef, o exame indicou um aumento da pressão intra-craniana e a nova intervenção cirúrgica foi necessária para conter o sangramento e aliviar essa pressão. Anteriormente, os médicos responsáveis pelo tratamento do primeiro-ministro haviam dito que não esperavam grandes mudanças no seu estado de saúde
Eles haviam dito que Sharon, de 77 anos, permaneceria sedado, em um coma induzido, pelo menos até o domingo. Sharon, que sofreu um derrame na noite de quarta-feira, estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital, depois de passar por cirurgias de sete horas para estancar a hemorragia em seu cérebro.

Correspondentes informam que assessores de Sharon trabalham com a premissa de que não ele não poderá voltar ao trabalho. Os seus poderes foram transferidos interinamente para o vice-primeiro-ministro Ehud Olmert logo após a sua internação. Segundo a TV, israelense, dois dos políticos mais próximos de Sharon, o premiê em exercício, Ehud Olmert, e o ex-premiê Shimon Peres, estariam se dirigindo ao hospital. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Mark Regev, disse que o governo continuará a implementar as políticas de Ariel Sharon apesar de seus problemas de saúde. Regev disse que este é um período difícil para o país e que o governo vai precisar de alguns dias para se ajustar à nova situação, sem a presença de um homem cuja presença era tão dominante no processo político.

Para o professor Tzvi Ram, diretor do departamento neurocirúrgico do hospital Ihilov, de Tel Aviv, são pequenas as chances de sobrevivência do primeiro-ministro. De acordo com Ram, o prognóstico de Sharon “é muito ruim, as chances de sobreviver a um derrame desta dimensão são poucas e as chances de poder voltar a um funcionamento normal são menores ainda”. As eleições gerais israelenses continuam marcadas para o dia 28 de março, conforme planejado.

– A dissolução do parlamento e as eleições… não foram afetados pela condição da saúde do primeiro-ministro – disse um comunicado do Ministério da Justiça.

A imprensa e os círculos políticos estão especulando que, mesmo que Sharon se recupere, ele não deve continuar a governar o país  Correspondentes em Jerusalém disseram que o derrame de Sharon muda todos os cálculos políticos em Israel. Segundo eles, nenhum dos outros candidatos a primeiro-ministro é capaz de inspirar a mesma confiança dos eleitores e têm a vontade, experiência ou a intenção de levar adiante os planos de Sharon.