Sharapova é pega de surpresa com nova regra

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de outubro de 2006 as 11:20, por: cdb

Não está nada fácil consolidar a regra que permite aos treinadores dar instruções dentro de quadra para as atletas. A WTA vem fazendo experiências nesse sentido, mas pelo menos entre as jogadoras top fica claro que a idéia ainda não “colou”. Exemplos podem ser encontrados no Tier I de Zurique, Suíça, que está em curso e tenta adotar a inovação.

– Eles estão permitindo isso aqui? Eu não sabia – confessou a russa Maria Sharapova, número 3 do mundo e cabeça-de-chave 2 do evento suíço. Depois de informada a respeito, a musa adolescente disse que não recorreria ao treinador, a não ser que estivesse desesperada.

– Eu não apoio isso. Nosso esporte é individual e você joga com o instinto. É isso que faz o tênis tão bom. É você que tem de decidir o que vai fazer. E você chamar seu treinador à quadra durante o jogo seria meio estranho, é como se dissesse à adversária que está precisando de ajuda.

A líder do ranking, Amélie Mauresmo, foi pelo mesmo caminho:

– Não sou favorável a esse sistema. Eu acho que a essência do tênis historicamente – e talvez eu seja conservadora quando tentam mudar as regras – é encontrar você mesma soluções em quadra.

A francesa parece convicta sobre a questão.

– É isso que faz a beleza do esporte. É como dizer ‘estou sozinho, o que tenho de fazer?’. Ter ajuda externa é um pouco vergonhoso nesse aspecto do jogo.