Servidores do Mato Grosso aprovam férias coletivas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de novembro de 2003 as 04:17, por: cdb

Pelo menos 63,17% dos servidores públicos do Estado aprovam a proposta do governador Blairo Maggi (PPS) de decretar férias coletivas entre o período de 22 de dezembro a 5 janeiro. Foi o que apontou a pesquisa DataDiário, encomendada pela Secretaria de Estado de Comunicação Social (Secom).

A proposta do governador é oferecer férias coletivas aos servidores lotados em secretarias e órgãos, cujos serviços não sejam considerados essenciais ou de emergência e urgência. Na pesquisa, foram consultados 800 funcionários públicos, abrangendo todo o Estado. Deste total, 36,58% rejeitaram o indicativo do chefe do Executivo. A pesquisa foi realizada no dia 6 deste mês.

A pesquisa foi motivada, segundo o secretário de Comunicação, Geraldo Gonçalves, porque o Fórum Sindical dos Funcionários Públicos havia se posicionado contra a idéia das férias coletivas, afirmando que falava pela maioria dos servidores, o que foi contrariado pela pesquisa.

O Fórum afirma que aceita as férias coletivas desde que os não sejam descontadas das férias normais do servidor. Conforme Geraldo Gonçalves, só traria mais ônus para o Estado, que estaria pagando para o servidor não trabalhar.

– Um Governo sério não brinca com o dinheiro público – disse o secretário.

Ao dar férias coletivas, o objetivo do governador, além de liberar os servidores para as festas de fim-de-ano, é economizar energia elétrica e materiais nos prédios públicos. Segundo Geraldo Gonçalves, a pesquisa é um dos instrumentos que vai embasar a tomada de decisão do governador sobre o assunto.
 
– A pesquisa é uma demonstração de que o Governo não pretende fazer nada arbitrariamente – disse.

A pesquisa DataDiário também procurou saber o que os servidores acham da idéia de o Estado pagar o décimo-terceiro salário de 2004 apenas no mês de dezembro. A maioria dos servidores aprova a proposta com 70,73% e 29,26% foram contra.

Foram ouvidos servidores de várias taxas etárias: 10,22% têm de 18 a 25 anos; 16,06% de 26 a 35 anos; 30,17% de 36 a 45 anos; e 43,55% acima de 46 anos. A pesquisa também ouviu servidores de acordo com a renda: 31% ganham até três salários mínimos; 39,5% de 4 a 6 salários; 20,7% de 7 a 12 salários; e 4,6% acima de 12 salários. Dos servidores ouvidos, 52% são mulheres e 48% homens.