Serra cai e é o terceiro nas pesquisas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de maio de 2002 as 12:21, por: cdb

O segundo lugar na corrida presidencial, segundo pesquisa CNT/Sensus, liberada nesta segunda-feira, pertence ao ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, do PSB. Ele ultrapassou o tucano José Serra e ocupa, agora, o segundo lugar na corrida à sucessão do presidente Fernando Henrique Cardoso.
O pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva mantém a liderança com 40,1%. É seguido por Garotinho, com 16,5%.
A pesquisa CNT/Sensus entrevistou duas mil pessoas em todo o país, de 19 a 23 de maio. A maioria das mudanças aconteceu dentro da margem de erro, que é de 3% para baixo ou para cima.

O crescimento de Garotinho, de 15,2% para 16,5%, era esperado pelo PSB. O programa eleitoral do pré-candidato foi veiculado em rádio e televisão dois dias antes do início da pesquisa. O coordenador da campanha do ex-governador, deputado Alexandre Cardoso (PSB-RJ), também atribui o crescimento ao fato dele ”ser o único que sabe falar a língua das ruas”. Segundo Garotinho, é provável que o resultado oscile entre ele e o tucano. ”Com Nizan Guanaes, Serra ainda pode dar uma subidinha, da mesma forma que eu posso cair.”

Depois de cair quase três pontos na pesquisa estimulada e um na espontânea, José Serra engrossou o coro dos tucanos que questionaram a legitimidade do levantamento. O líder do PSDB na Câmara, Jutahy Magalhães (BA), foi o porta-voz: ”Essa pesquisa é indecente”. Segundo ele, as perguntas sobre denúncias de corrupção foram colocadas de forma intencional para prejudicar o pré-candidato.

Para justificar as queixas, Serra garantiu que pesquisas internas do PSDB o colocam em segundo lugar. ”Nossas pesquisas dão resultado bem diferente dos que estão sendo divulgados”, jura Serra. O PSDB registrou ontem no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pesquisa da Vox Populi, que será feita com dois 2 mil entrevistados entre 29 e 30 de maio, ao custo de R$ 40 mil para rebater os resultados de ontem.

O PT manteve a mesma postura das outras pesquisas: ”Nada de salto alto e discurso de já ganhou”, pedia o deputado José Genoíno (PT-SP). O porta-voz do partido, André Singer, explicou que a queda de Serra mostra ”o desejo de mudança que existe em boa parte da população”.

O resultado da pesquisa animou o PPS de Ciro Gomes. O presidente do partido, senador Roberto Freire (PE), afirma que o crescimento do pré-candidato é ”o dado mais importante da amostragem”. Ciro Gomes foi mais cauteloso: ”Pesquisa a tal distância do processo revela a fama de quem já usou a televisão”, explica.

A pesquisa CNT/Sensus mostra também que o presidente Fernando Henrique Cardoso pode ser um bom cabo eleitoral. O índice de aprovação subiu quase três pontos enquanto a avaliação negativa caiu outros três. A avaliação regular manteve-se estável. Além disso, houve uma melhora no potencial de transferência de voto do presidente. 36,1% dos entrevistados afirmaram que poderiam votar em um candidato indicado ou apoiado por FHC, cinco pontos a mais que em abril.