Serla quer instalar contenção de aço para as gigogas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 24 de abril de 2006 as 13:33, por: cdb

A Superintendência Estadual de Rios e Lagoas (Serla), da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, pretende instalar em 20 dias uma ecobarreira definitiva na Base de Operações da Comlurb, na Lagoa da Barra, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. O objetivo é impedir que gigogas cheguem às praias da região, a exemplo do que ocorreu neste fim de semana. Segundo o presidente da Serla, Ícaro Moreno Júnior, a ecobarreira é uma chapa de aço resistente.

– É quase impossível, porque teria de ser com equipamentos adequados que chamariam a atenção. Além do que ela será monitorada, pois terá uma parte móvel, uma espécie de portinhola, por onde passarão os barcos – disse Moreno, referindo-se à suspeita de que houve o rompimento criminoso das barreiras de contenção das gigogas.

A contenção das plantas aquáticas foi rompida na madrugada deste sábado e estão impedidas de desaguar no oceano por cinco ecobarreiras provisórias porque a atitude criminosa foi percebida a tempo. Um cabo de aço foi estendido sob a Ponte Nova, na entrada do Canal da Joatinga, próximo ao quebra-mar, para impedir a poluição da praia. Desde a manhã deste sábado, uma equipe de 30 funcionários da Serla com quatro máquinas já retirou 900 toneladas das gigogas represadas. Segundo Ícaro, em uma semana as gigogas restantes serão removidas.