Sequestro de ônibus no Rio já dura sete horas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 10 de novembro de 2006 as 15:28, por: cdb

Já passa de sete horas o sequestro do ônibus 499 (Central – Cabuçu), da Viação Tanguá, na Via Dutra, na altura de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, onde um homem mantém, nesta sexta-feira, um número ainda não confirmado de reféns. André Luis Ribeiro da Silva, 35, que embarcou com a mulher a quem ameaça, fez poucas exigências e já recebeu a visita da irmã, do pastor da igreja e segundo a polícia, pediu para ver os filhos.

André é camelô e morador de Nova Iguaçu, no bairro de Santa Eugênia. A mulher ameaçada seria Cristina, e seria esposa dele. O casal teria três filhos. Cristina é do lar e estaria fazendo um curso de enfermagem. André Luis teria tentado o suicídio, sem sucesso e, depois de um mês fora do Rio, a pedido da família, André teria retornado ao estado disposto a reatar o casamento. Os familiares de André Luis dizem que ele tem um ciúme doentio pela mulher.

A governadora Rosinha Matheus designou o comandante do Bope, o Batalhão de Operações Especiais, para chefiar as negociações. A irmã, o cunhado do agressor e o major Soares da PM participam das negociacões.