Sequências de filmes são garantia de ouro nas bilheterias

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de janeiro de 2005 as 13:41, por: cdb

Nas próximas semanas, em um cinema perto de você: “A Volta da Sequência”. O sucesso comercial feito por várias sequências de filmes nos últimos anos convenceu Hollywood a levar a fórmula adiante, tanto assim que uma nova leva de sequências vai estrear em 2005, incluindo episódios novos das séries “Guerra nas Estrelas”, “Batman” e “Harry Potter”.

Dos 20 bilhões de dólares ganhos por filmes e suas sequências nas bilheterias norte-americanas desde 1980, 38 por cento vieram do primeiro filme em uma série e 36 por cento por sua primeira sequência, indicando que o desempenho comercial das sequências é comparável ao dos filmes originais, revelou pesquisa divulgada nesta segunda-feira pela Screen Digest.

Os estúdios lançaram um recorde de 15 sequências em 2002, 14 em 2003 e outras 14 no ano passado. E o tempo que levam para lançar as segunda e terceira partes de cada série vem se reduzindo.

A Screen Digest constatou que, entre 1980 e 2004, o tempo médio transcorrido para o lançamento de sequências foi de três anos. Mas nos últimos anos esse tempo vem caindo para cerca de um ano.

Embora a pesquisa tenha estudado o sucesso dos filmes nas bilheterias norte-americanas, as sequências dominaram as telas em todo o mundo no ano passado. E o público mundial mostrou que aprecia reencontrar seus personagens favoritos.

No Reino Unido, quatro sequências — “Shrek 2”, “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban”, “Bridget Jones no Limite da Razão” e “Homem Aranha 2” — lideram a lista dos cinco filmes de maior bilheteria do ano. Apenas “Os Incríveis”, na quarta posição, não fez parte de uma série.

“As sequências de filmes têm sido um elemento chave a motivar o aumento constante da receita nas bilheterias, e alguns dos títulos mais rentáveis vêm sendo partes de franquias”, disse o analista da Screen Digest David Hancock.

O sucesso das sequências mais recentes se deve ao fato de seus roteiros não se limitarem a narrar a história da mesma maneira que o filme original — uma queixa comum dos cinéfilos.

Para Hannock, “O Senhor dos Anéis”, “Harry Potter”, “Guerra nas Estrelas”, “Homem Aranha” e “Shrek” “são exemplos de criatividade em sequências, mostrando que criar sequências deixou de ser uma opção cínica. É uma estratégia de marketing inteligente: montar uma idéia boa e uma base de público para depois trabalhar a partir dessa base.”

Nos Estados Unidos, a série de filmes mais lucrativa até hoje é “Guerra nas Estrelas”, cujos cinco filmes arrecadaram 1,4 bilhão de dólares, segundo a Screen Digest. A única outra série a superar a marca de 1 bilhão de dólares foi a trilogia “O Senhor dos Anéis”.

Mas a série “Homem Aranha” é a que vem tendo maior lucro por filme nas telas norte-americanas: 376 milhões de dólares para seus dois filmes. O segundo nessa lista é “Shrek”: 351 milhões de dólares por filme.

Os filmes de ação dominam o mundo das sequências, com 51 filmes, ou quase três em cada dez nos últimos 25 anos, segundo a Screen Digest. Os outros gêneros mais populares são a comédia (18 por cento), terror (16 por cento) e ficção científica (14 por cento).

A série mais longa, desde 1980, é “Sexta-feira 13”, com 11 filmes e 309 milhões de dólares em renda bruta.

Não foram incluídos no estudo — que cobre apenas sequências cujo primeiro filme foi lançado a partir de 1980 — as franquias James Bond e Pantera Cor-de-Rosa, além de séries populares como “Poderoso Chefão”, “Tubarão”, “Mad Max”, “Halloween”, “Apertem os Cintos — O Piloto Sumiu” e “Superman”.