Senado ouvirá envolvidos em escandâlo na venda da Vale do Rio Doce

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 8 de maio de 2002 as 22:16, por: cdb

A Comissão de Fiscalização e Controle aprovou nesta quarta-feira, por unanimidade, um requerimento de senadores da oposição, convidando o ministro da Educação, Paulo Renato Souza, e outras três autoridades e ex-integrantes do governo citados na reportagem da revista Veja que denunciou suposta irregularidade no processo de privatização da Companhia Vale do Rio Doce, em 1998.

Os senadores Eduardo Suplicy, Heloísa Helena, Roberto Saturnino e Jefferson Péres exigiram esclarecimentos sobre um possível pedido de propina, a título de pagamento de comissão, feito pelo ex-diretor do Banco do Brasil Ricardo Sérgio de Oliveira ao atual presidente do Conselho de Administração da Companhia Siderúrgica Nacional, Benjamin Steinbruch, empresário que liderou a compra da Vale do Rio Doce.

O requerimento solicita ainda a presença do ex-ministro das Comunicações, Luiz Carlos Mendonça de Barros, uma vez que ele teria sido procurado por Steinbruch para questioná-lo sobre a cobrança que Ricardo Sérgio estaria fazendo para o pagamento de R$ 15 milhões pelo trabalho de reunir os fundos de pensão em torno de seu consórcio.

A revista afirma que o ministro Paulo Renato também tinha conhecimento do assunto, pois foi igualmente procurado por Steinbruch para aconselhamento. “Considerando as atribuições desta Casa, principalmente no que concerne ao dever de fiscalizar os atos do Poder Executivo, é de fundamental importância que possamos ouvir os envolvidos nesta operação, que envolveu a venda da maior mineradora do planeta”, justificou Suplicy.