Seminário discute comportamento da imprensa sobre violência contra crianças e adolescentes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de dezembro de 2001 as 23:25, por: cdb

Com o objetivo de avaliar o comportamento da imprensa brasileira quando a criança ou o adolescente são vítimas ou agentes da violência, cerca de 36 jornalistas que trabalham na cobertura de Polícia dos quatro estados da região Sudeste estarão reunidos no Rio de Janeiro, nos dias 10 e 11 de dezembro, participando do Seminário Balas Perdidas.
A discussão será subsidiada pelos resultados de uma análise de mídia realizada pela ANDI a partir de 1.140 matérias sobre violência, publicadas em 46 jornais de todo o País no período de julho de 2000 a junho de 2001. O Seminário Balas Perdidas não pretende se resumir à apresentação dos dados e palestras, envolvendo um processo interativo em que jornalistas, fontes e especialistas formarão grupos de trabalho e avaliarão os resultados obtidos com a pesquisa. Além disso, os grupos de trabalho do seminário deverão produzir recomendações para uma cobertura adequada do tema.
A análise da ANDI – que será apresentada durante o seminário – constatou que a mídia brasileira não realiza uma boa cobertura, ferindo o direito do leitor por uma informação propositiva e de qualidade sobre essa temática. A violência não é tratada como fenômeno social, apenas como uma mera sucessão de fatos. O grande problema radiografado pela pesquisa é que a maioria esmagadora das reportagens sobre o tema – 80% – é construída a partir dos Boletins de Ocorrência das delegacias.
Ou seja, os boletins, que são apenas o registro inicial para a abertura de um processo, aparecem descritos como verdade absoluta e freqüentemente são reproduzidos como sentenças judiciais. Foram verificadas, ainda, nas reportagens, a ausência do histórico do agressor (que ajuda a explicar os motivos da violência) e a omissão de propostas que poderiam solucionar o problema, além do fato de que raramente é cobrada a presença do poder público ou denunciada a ausência de políticas públicas.
Na mesa de abertura do evento, no dia 10, às 9h, estarão presentes Maria Inês Bierrenbach, Diretora do Departamento da Criança e do Adolescente do Ministério da Justiça, Maria Helena Magalhães, do Instituto Ayrton Senna, Cenise Monte Vicente, da Oficina de Idéias, Margrid Sauer Oliveira, da Amencar, Ana Lúcia Guimarães, da Unesco e Rachel Mello, do Unicef. Os especialistas que participarão dos grupos de trabalho junto com os jornalistas convidados são: Túlio Kahn, diretor-executivo do Ilanud, João Batista Saraiva, Juiz da Infância e Juventude de Santo Ângelo, Rui Nogueira, diretor da revista República, Ivanéa Maria Alba, autora do Manual de Imprensa sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, entre outros.

O seminário Balas Perdidas será realizado nos dias 10 e 11 de dezembro, no Hotel Othon, em Copacabana, no Rio de Janeiro. Maiores informações podem ser conseguidas na ANDI , com Graziella Nunes ou Aline Falco, no telefone (61) 322-6508 ou pelo e-mail pauta@andi.org.br