Sem Garotinho, Lula venceria no 1º turno

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de abril de 2006 as 22:19, por: cdb

Uma aliança entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-governador do Estado do Rio Anthony Garotinho (PMDB) significaria, segundo pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada neste sábado, o desfecho das próximas eleições ainda no primeiro turno, com a reeleição do petista. O atual presidente da República é o franco favorito na corrida pela reeleição, e o levantamento mostra que o a disputa, na realidade, recai sobre quem será o anti-Lula. Geraldo Alckmin (PSDB) e Garotinho estão técnicamente empatados.

Alckmin aparece em segundo lugar, com 20% das intenções de voto, apenas 5 pontos percentuais acima de Garotinho. No levantamento anterior, o ex-governador de São Paulo tinha 23 por cento e Garotinho aparecia com 12%. Lula tem 40% das intenções de voto, com uma oscilação de dois pontos para baixo, dentro da margem de erro da pesquisa, de até dois pontos para mais ou para menos. O candidato petista, ao contrário dos demais, ainda não anunciou sua intenção de concorrer às eleições.

Alckmin teve sua candidatura lançada pelo PSDB em março. O PMDB ainda não definiu se terá candidatura própria para presidente. Num eventual segundo turno, o presidente venceria os dois oponentes. Alckmin por uma margem mais estreita, 52% a 37%; e Garotinho por 54% a 32%. Se Garotinho não chegar a participar das eleições, Lula poderá se reeleger ainda no primeiro turno. Segundo o Datafolha, Lula teria 52% dos votos válidos, contra 28% de Alckmin.

A pesquisa foi realizada pelo Datafolha entre quinta e sexta-feira, com 3.795 pessoas em 182 municípios do país. O levantamento anterior havia sido realizado entre os dias 16 e 17 de março.

Boa avaliação

O Datafolha também pesquisou a avaliação do presidente Lula. Apesar do escândalo do caseiro, que derrubou Antonio Palocci da Fazenda, o índice dos que consideram seu governo ótimo ou bom oscilou de 38% para 37%. Os dos que acham regular se manteve em 38% e o dos que consideram ruim ou péssimo permaneceu em 23%. Para 37% dos entrevistados, porém, Lula tem muita responsabilidade nos casos de corrupção do governo, índice que registrava 33% na pesquisa anterior, realizada em fevereiro.