Seleção reencontra palco da derrota do Mundial de 1998 contra a França

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 16 de junho de 2003 as 14:35, por: cdb

A seleção brasileira entrou no Stade de France, em Saint-Denis, nesta segunda-feira, pela primeira vez desde a derrota na final da Copa do Mundo de 1998. Praticamente sem presença de público, o técnico Carlos Alberto Parreira comandou um coletivo, em que manteve quase todo o time que bateu a Nigéria por 3 a 0, na semana passada.

A única alteração nessa preparação para a estréia na Copa das Confederações, quinta-feira, contra Camarões, foi no comando do ataque. Luís Fabiano, que sente dores na coxa direita, ficou fora de mais um treinamento, fazendo testes do lado de fora do gramado com o preparador físico Moraci Sant’anna.

Com isso, Adriano ganhou chance de formar dupla de ataque com Gil. E o ex-jogador do Flamengo foi o destaque da primeira parte do treinamento. Com a vitória do time titular por 4 a 0, Adriano marcou dois gols, enquanto Emerson e Ronaldinho Gaúcho completaram o marcador.

Na segunda parte, completando o treino com duração de 1h15 que já era previsto pela comissão técnica, Parreira fez algumas alterações. O lateral-direito Belletti, o meia Ricardinho e o atacante Gil cederam seus lugares, respectivamente, para Maurinho, Adriano e Alex. Nesse período, porém, não houve gols.

O Stade de France não traz boas recordações aos brasileiros. Na final de 98 contra a França, a equipe dirigida por Zagallo ficou longe de seu verdadeiro nível técnico, em parte abalada pela convulsão sofrida pelo atacante Ronaldo, horas antes do confronto.

Daquela seleção, além de Zagallo, atualmente coordenador-técnico, apenas dois jogadores fazem parte do grupo atual. São eles o volante Emerson e o goleiro Dida, que eram reserva em 98. Emerson só foi convocado pouco antes de a Copa começar, em lugar de Romário, “cortado” por contusão.