Seleção olímpica empata com o Egito

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 20 de janeiro de 2003 as 15:01, por: cdb

A seleção olímpica do Brasil mais uma vez apresentou um futebol abaixo da crítica e ficou apenas com o empate em 1 a 1 com o Egito pelo grupo B do Torneio do Qatar, em Doha.

Com este resultado, a seleção egípcia lidera o grupo, com sete pontos. O Brasil tem cinco e está longe da vaga na decisão. No torneio, que é preparatório para o Pré-Olímpico, a seleção empatou o primeiro jogo com a Noruega e venceu a segunda partida diante da República Tcheca.

Agora a equipe, dirigida por Ricardo Gomes, encerra sua participação nesta fase contra a China, na quarta-feira. Para ficar com a vaga na final, precisa torcer para derrota do Egito para os tchecos na última rodada.

O jogo
Depois de um primeiro tempo lamentável, no qual foi amplamente dominado pelo Egito, o Brasil melhorou na segunda etapa (principalmente graças à entrada de Nenê no lugar de Júlio Baptista) e conseguiu evitar um vexame maior.

Embalado por duas vitórias no torneio, o Egito começou o jogo com tudo, e abriu o marcador logo aos 5min. Abedel Wahed arriscou de fora da área e acertou o gol de Rubinho, que mal colocado não fez a defesa.

O Brasil teve uma grande chance de empatar aos 17min. Marcinho fez boa jogada, entrou na área e chutou para a defesa de Sobhi. No rebote, Robert -livre de marcação- pegou mal na bola e mandou para fora.

O lance desestabilizou ainda mais o time do Brasil, que viu o Egito tocar bem a bola no meio-campo e arriscar alguns lances de ataque. O time africano esteve muito mais perto de ampliar o placar do que a seleção brasileira de empatar o jogo.

No segundo tempo, a seleção brasileira voltou mais agressiva. Em dez minutos perdeu três chances de marcar, com Robert, Adriano Luisão.

A pressão deu resultado aos 25min. Paulinho fez boa jogada pela esquerda e tocou rasteira para o meio da área. Nenê foi mais esperto que os zagueiros egípcios e chutou forte para empatar a partida.

O Brasil continou melhor no jogo e só não virou o marcador porque o meia Kaká, aos 33min, chegou atrasado num cruzamento de Marcinho. O Egito se concentrou na defesa e esperou o tempo passar para ficar bem perto da final do torneio.