Seleção brasileira enfrenta EUA atrás de vaga e afirmação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 21 de junho de 2003 as 11:55, por: cdb

Alex treinou nesta sexta-feira entre os titulares e será a aposta do técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, para vencer os Estados Unidos, neste sábado, às 16 horas (de Brasília), no Estádio Gerland, em Lyon.

Qualquer resultado diferente da vitória será considerado um fiasco para os brasileiros que, no primeiro jogo na Copa das Confederações, caíram diante de Camarões, por 1 a 0, na última quinta-feira, no Stade de France, em Saint-Denis.

Portanto, novo tropeço deixaria os brasileiros bem próximos da vexatória eliminação logo na primeira fase da competição. Turcos e camaroneses dividem a liderança do Grupo B, com três pontos. Brasil e EUA são lanternas, com zero.

A exemplo do que aconteceu após a derrota na estréia, o treinador brasileiro não conseguia esconder seu descontentamento e, sobretudo, decepção com a produção do time. “Vamos estudar mudanças”, dizia após o resultado negativo.

A entrada de Alex no lugar de Gil, sumido frente os africanos, vai alterar também o posicionamento de Ricardinho. O meia do São Paulo está sendo particularmente orientado por Parreira para jogar mais pelo lado esquerdo, avançado.

O cruzeirense, por sua vez, assume o meio-campo, respondendo pela armação das jogadas.

– É difícil dizer que tal jogo é para você ou não. A gente tem de ter calma para fazer o que tem de ser feito no momento que é chamado – disse o novo titular.

Parreira parece ter entendido o óbvio. O que faltou ao Brasil no jogo contra Camarões não foi precisão de finalização ou poder de marcação. Trata-se apenas de criatividade na armação, capaz de fugir dos fortes esquemas defensivos que a seleção, invariavelmente, terá de enfrentar, tanto na Copa das Confederações como, sobretudo, nas eliminatórias.

O treinador brasileiro só não explicou ainda o motivo pelo qual não tentou a alternativa com Alex já na estréia. Na partida contra Camarões houve somente duas substituições: Ilan entrou no lugar de Adriano e Adriano Souza substituiu Kleberson. Ambas ineficientes.

Diante das circunstâncias, Alex procura disfarçar a ansiedade. Pessoalmente, sabe que poderia ter entrado contra Camarões. O meia do Cruzeiro deixou o Stade de France contrariado.

Agora, sabe que está em uma encruzilhada. Se resolver o problema e fizer o time fluir, não sai mais da equipe titular. Por outro lado, se a equipe continuar travada, vai ter dificuldade para continuar sendo lembrado nas futuras convocações. Como vai reagir diante de tal responsabilidade, só após a partida será possível saber.

Uma das principais preocupações da comissão técnica durante a viagem de TGV (trem francês que anda a quase 300 Km/h) entre Paris e Lyon, nesta sexta-feira, foi cuidar do aspecto emocional do grupo. Auxiliados pelos atletas mais experientes, casos do goleiro Dida e do capitão Emerson, tentavam tranqüilizar os mais jovens, maioria na delegação. Assim mesmo o clima não lembrava o de dois dias atrás.

As conversas e brincadeiras deram lugar a semblantes sérios e entediados. Muitos sentem que a vaga no grupo que vai iniciar as Eliminatórias está por um fio. Nada bom para quem planejava ficar na seleção a fim de tentar bons contratos na Europa.