Seis palestinos morrem em ataque israelense

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 14 de dezembro de 2001 as 12:26, por: cdb

Seis policiais palestinos foram mortos e várias pessoas ficaram feridas durante novas operações militares de Israel na Cisjordânia. As mortes se deram quando tropas e tanques israelenses entraram no vilarejo de Salfit, perto da cidade de Nablus. Um dos mortos estava na lista de procurados do governo de Israel.

Soldados israelenses também prenderam militantes de organizações palestinas durante a ação. Não há informação sobre feridos em uma outra operação militar, que ocorreu na região de Hebron, também na Cisjordânia. Na Faixa de Gaza, tropas de Israel destruíram edifícios do campo de refugiados Khan Younis.

O enviado especial dos Estados Unidos à região, Anthony Zinni, deve anunciar nesta sexta-feira um plano para interromper o ciclo de violência no Oriente Médio. Em encontro com o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, Zinni pediu explicações sobre a decisão israelense de cortar relações com o líder palestino, Yasser Arafat.

A atitude de Sharon foi criticada pelo ministro das Relações Exteriores de Israel, Shimon Peres. Ele é o principal nome do Partido Trabalhista na coligação do governo. Segundo ele, Arafat não está acabado e não pode ser isolado. Os Estados Unidos e a União Européia continuam a reconhecer a autoridade de Arafat. Depois da decisão de Israel, a Autoridade Palestina anunciou que não reprimiria mais as organizações radicais da região.

O governo de Israel está agindo em represália à onda de atentados patrocinados por organizações palestinas nos últimos dias. Nesta semana, atiradores palestinos mataram dez colonos judeus.

O Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) continua nesta sexta-feira as discussões sobre a crise no Oriente Médio. A reunião de emergência do Conselho de Segurança foi pedida por países árabes e pelas lideranças palestinas.

O Vaticano condenou a violência no Oriente Médio. A solução para a crise, segundo o Vaticano, seria a retirada de Israel dos territórios ocupados e a criação de um Estado palestino.