Segurança Pública combate ladrões de Rolex no Paraná

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de outubro de 2003 as 18:39, por: cdb

As quadrilhas paulistas de roubos de relógios de marcas famosas estão na mira da Secretaria de Estado da Segurança Pública, no Paraná. De acordo com uma investigação da Polícia Civil, esses grupos de São Paulo especializados em roubo de relógios Rolex, Bulgary, Cartier e Bulova estão migrando para a capital paranaense desde o início de 2002. A Polícia Civil já identificou também o “modus operandi” destas quadrilhas.

Segundo as investigações, os assaltantes são oriundos das cidades paulistas de Francisco Morato e Franco da Rocha, onde são aliciados por grandes receptadores de relógios roubados. Após o aliciamento, os assaltantes são encaminhados à capital do Paraná utilizando como meio de locomoção ônibus de empresas que fazem a linha São Paulo-Curitiba. Normalmente, os assaltantes chegam pela manhã e voltam no final do dia.
 
Ação
 
A partir destes dados, o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, determinou nesta quarta-feira às empresas de ônibus que administram a linha São Paulo-Curitiba o envio de relatórios semanais para controlar a lista de passageiros. – Estamos cruzando diversas informações para identificar estas quadrilhas de assaltantes paulistas, que não vão encontrar terreno fértil no Paraná – garantiu Delazari.

De acordo com um levantamento da Polícia Civil, 24 pessoas foram vítimas destas quadrilhas desde maio de 2002 até o último dia 1.° de outubro. Desse total, oito casos ocorreram neste ano. Segundo o delegado Rubens Recalcatti, da Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba (DFR), a polícia já identificou 11 assaltantes, todos paulistas. Seis foram presos em flagrante pela Polícia Civil e encontram-se presos na DFR e outros distritos.

– Além dos assaltantes que estão na ponta deste tipo de crime também estamos prendendo os grandes receptadores – observou Recalcatti. Após a prisão em flagrante dos dois assaltantes paulistas Douglas Fabiano da Silva, 21 anos, e Edson Modesto de Oliveira, 32 anos, a delegacia conseguiu identificar um grande receptador de relógios de marcas famosas.
 
Prisão
 
No último dia 21, os policiais prenderam, no centro de São Paulo, Judivan Inocêncio, 41 anos. De acordo com o depoimento de Douglas Silva e Edson Oliveira, Inocêncio recrutava pessoas para praticar roubos deste tipo na capital paranaense. Ainda segundo eles, o acusado seria o receptador dos relógios roubados.

Segundo Recalcatti, o receptador pagava cerca de R$ 1,5 mil por relógio roubado, revendendo depois por um preço maior (até R$ 25 mil). Os assaltantes afirmaram ainda que juntavam cerca de cinco relógios e voltavam para São Paulo para entregar os objetos para Judivan.