Seguidores de Gandhi criticam canhões apontados para mausoléu

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de janeiro de 2007 as 11:39, por: cdb

Seguidores do reverenciado herói da independência indiana, o mahatma Gandhi, disseram que é inapropriado ter canhões apontados para o local onde o ícone pacifista foi assassinado, informou um jornal indiano nesta terça-feira. Canhões em frente à Academia Nacional de Defesa de Nova Délhi apontam diretamente para o Gandhi Smriti, o local onde Ganhdi foi morto há exatos 59 anos. Simpatizantes dizem que os canhões estão, na verdade, mantendo sob mira o homem que usou apenas meios não-violentos para expulsar os colonizadores britânicos da Índia, disse o Times da Índia.

– É inapropiado ter esses canhões apontados para o Gandhi Smriti, um dos lugares mais sagrados do mundo, onde o apóstolo de ahimsa (não-violência) caiu vítima de tiros – disse N. Vasudevan, ex-secretário do Rajghat Samadhi Samiti, encarregado do mausoléu de Gandhi.

A neta de Gandhi, Tara Gandhi, também vê os canhões como inadequados.

– Nós precisamos de vassouras para limpar a violência da sociedade, contra as crianças, contra as mulheres, não canhões – disse.

O exército, entretanto, disse que muita coisa está sendo dita sobre o posicionamento dos canhões, que são de um “tipo clássico” e “decorativo”.

– A posição deles não deve ser vista como um desrespeito ao Pai da Nação, que é altamente reverenciado por todos nós – disse o porta-voz do exército, coronel S.K. Sakhuja, ao jornal.

O jornal disse que o diretor do Gandhi Smriti, o local em que ele foi assassinado em 30 de janeiro de 1948 por um radical hindu, era inicialmente crítico, mas agora vê os canhões como um símbolo da luta de Gandhi pelo completo desarmamento.

– Deixemos as armas…um lembrete da tarefa inacabada de Mahatma Gandhi – disse Savita Singh.