Secretaria do Ambiente e Inea anunciam no Rio punições à CSA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 5 de janeiro de 2011 as 13:14, por: cdb
A Companhia Siderúrgica do Atlântico, prevista para iniciar suas operações em 2010, em Santa Cruz: a empresa será responsável pelo lançamento de 9,7 milhões de toneladas de dióxido de carbono por ano
A empresa será responsável pelo lançamento de 9,7 milhões de toneladas de dióxido de carbono por ano

O secretário estadual do Ambiente do Rio, Carlos Minc, e a presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, anunciam nesta quarta-feira, às 14h30, as decisões do Conselho Diretor do Inea (Condir), sobre a Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA). A siderúrgica pode sofrer severa multa por poluir o ar, com a emissão de grafite, no entorno da usina, no bairro de Santa Cruz, Zona Oeste da capital do estado. O acidente ambiental aconteceu no fim do ano passado.

Minc e Marilene detalham ainda os ajustes que a CSA precisará fazer para obter do Inea, a Licença de Operação (LO), documento que assegura seu funcionamento definitivo. Na última reunião do seu conselho de administração com o Inea, no fim do ano passado, a CSA se comprometeu a contratar uma auditoria externa, conforme exigência do Inea e do Ministério Público Estadual.

Na ocasião, Marilene Ramos descartou a participação de auditores alemães para evitar conflito de interesses, uma vez que o grupo controlador da siderúrgica é o alemão Thyssenkrupp, com 73,13% do capital. Os 26,87% restantes são da Vale.

Comments are closed.