Secretária defende aperfeiçoamento da gestão do Bolsa Família

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 31 de janeiro de 2005 as 21:38, por: cdb

O aperfeiçoamento dos mecanismos de gestão do programa Bolsa Família foi defendido pela secretária Nacional de Renda e Cidadania do Ministério do Desenvolvimento Social, Rosani Cunha. “A ação do governo é para que o número de irregularidades seja o menor possível”, disse. Um dos mecanismos utilizados pelo governo federal é o envio do banco de dados do programa para prefeituras.

Com isso, espera-se que os governos municipais colaborem com a fiscalização do Bolsa Família, como foi feito em Teresina (PI), onde a prefeitura pediu o bloqueio de 1.107 pagamentos a servidores públicos.

Fiscais do ministério do Desenvolvimento Social estão na capital piauiense para realizar uma ampla verificação do cadastro do Bolsa Família e levantar informações sobre os beneficiários do programa no município, a fim de eliminar possíveis irregularidades.

A secretária lembrou que o bloqueio dos pagamentos não significa que todos os servidores estão cometendo fraudes. “Os recursos continuam bloqueados até que se finalize o inquérito administrativo. Se a família tiver direito ao benefício, ele estará disponível na agência bancária após o desbloqueio”, explicou.

O Bolsa Família atende mais de 6,5 milhões de pessoas em todo país. A meta é chegar a 11 milhões de famílias até o final de 2006. Para ser beneficiada pelo programa de transferência de renda, a família não pode ter uma renda superior a R$ 100,00 por pessoa.