Sebastian Vettel cita preferência por Kimi como parceiro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de julho de 2013 as 12:00, por: cdb
Sebastian Vettel
Sebastian Vettel

Depois dos rumores de que Fernando Alonso poderia ser o substituto de Mark Webber na Red Bull na próxima temporada, Sebastian Vettel se manifestou e mostrou sua preferência. Mesmo não tendo nada contra o espanhol, o atual líder da Fórmula 1 afirmou que prefere ter Kimi Raikkonen como parceiro.

– Eu preferia Kimi. Mas devo ser cuidadoso, não tenho nada contra Fernando e o respeito muito como piloto, mas também respeito Kimi tanto dentro da pista como fora dela porque ele sempre foi muito sincero comigo. Desse ponto de vista pode parecer um pouco mais fácil – declarou o alemão.

As especulações de que Alonso poderia mudar de equipe ganharam mais força após o jornal Bild, da Alemanha, publicar que o empresário do piloto teve uma conversa com Christian Horner, chefe da Red Bull, durante o GP da Hungria. Posteriormente, Stefano Domenicali, chefe da escuderia italiana, garantiu que o espanhol não sairá antes do término de seu contrato, que chega ao fim após a temporada 2016.

Com a confirmação de que Webber deixará a principal categoria do automobilismo no final do ano, a Red Bull busca um novo piloto, mas ainda não tem um nome confirmado.

Lotus faz acertos com investidores

Nos últimos dias, a Lotus vem acertando detalhes com grupos de investidores e está próxima de definir um projeto de investimento para as próximas temporadas. A medida tem uma importância ainda mais significativa, já que ajuda diretamente na permanência de Kimi Raikkonen na escuderia.

Muito cobiçado pela Red Bull para substituir o veterano Mark Webber, que se aposentará no final da temporada, Raikkonen já havia declarado que gostaria de permanecer na Lotus, mas a equipe teria que apresentar garantias de que fará melhoras para que o piloto possa brigar pelo título.

Segundo a revista inglesa Autosport, a equipe acertou os últimos detalhes com o grupo Infinity Racing, que recentemente comprou 35% das ações da montadora, o que garante um plano de investimento.

– Acho que, até o fim desta semana, tudo deve estar esclarecido. O acordo nos dá mais do que otimismo em relação ao futuro: nos dá os meios para adquirir todos os recursos que nos permitam ir ao próximo passo em termos de estabilidade, grandeza e poder, vamos dizer assim – afirmou Éric Boullier, chefe da Lotus.