Sean Connery é acusado de sonegar imposto na Escócia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de março de 2003 as 16:51, por: cdb

O ator Sean Connery mostrou seu histórico de impostos ao jornal The Herald, de Glasgow, numa tentativa de antecipar-se às críticas que prevê receber antes das eleições de maio, quando deve apoiar ativamente o Partido Nacionalista Escocês (SNP), que luta pela independência da Escócia.

Connery, 72 anos, desmentiu alegações de que seu status de exilado tributário nas Bahamas prejudica seu apoio à causa da independência, afirmando já ter pago milhões de dólares no Reino Unido enquanto vivia no exterior.

Em entrevista publicada na quinta-feira, ele disse ao jornal que, desde 1997, já pagou 3,7 milhões de libras (US$ 5,93 milhões) em impostos britânicos.

“Sou alvo fácil por causa de minhas opiniões políticas, mas desafio qualquer pessoa a encontrar alguma instância em que eu tenha feito, com consciência de causa, qualquer coisa em detrimento da Escócia. Isso me irrita demais”, disse o ator.

Connery também disse que pagou mais de 2,8 milhões de libras (US$ 4,49 milhões) em impostos britânicos sobre três filmes grandes, antes de 1997.

“Pago os impostos plenos em qualquer lugar onde eu esteja trabalhando. Como me dou a muito trabalho para trazer projetos de cinema para o Reino Unido, em lugar de Hollywood, isso significa que já paguei impostos plenos aqui”, disse Connery.

Sean Connery também disse que o Partido Trabalhista britânico lhe negou o título de cavaleiro em 1997 devido à preocupação suscitada por seus vínculos estreitos com o SNP.

A indicação para o título se deu após as eleições gerais de 1997, em função de uma proposta formulada pelo governo anterior, conservador, disse ele.

Connery acabou recebendo o título da rainha Elizabeth, em Edimburgo, três anos mais tarde.