São Paulo precisa vencer por três gols de diferença do São Raimundo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de março de 2003 as 16:54, por: cdb

O jogo mais importante do ano. Parece exagero, mas essa é denominação dada pelos jogadores do São Paulo ao confronto contra o São Raimundo, nesta quarta-feira, às 20h30, no estádio do Morumbi, pela segunda partida da primeira fase da Copa do Brasil.

Por ter perdido o primeiro jogo por 2 x 0, no dia 19 de fevereiro, em Manaus, o Tricolor Paulista precisa vencer por, no mínimo, três gols de diferença para avançar no torneio. Se derrotar o time amazonense pelo mesmo placar do confronto anterior, a vaga será decidida nos pênaltis.

A eliminação prematura da competição nacional acarretaria mudanças no clube. A principal delas seria à saída do técnico Oswaldo de Oliveira, que vem balançando no cargo faz tempo, apesar da equipe estar na final do Campeonato Paulista.

O trabalho do treinador não é aprovado por boa parte da diretoria e, ser derrotado pelo modesto São Raimundo, seria a cota d’água. A pressão dos torcedores sobre o técnico também está perto do insustentável. Em todos os jogos, independente do resultado, ele é chamado de burro.

O diretor de futebol do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, retrata muito bem o momento interno vivido pelo clube. Em uma de suas visitas ao CCT da Barra Funda, o dirigente classificou essa partida como “o jogo da paz”.

Segundo ele, se o time vencer o São Raimundo e avançar à segunda fase da Copa do Brasil, os torcedores irão ficar ao lado do treinador. Além disso, Oswaldo de Oliveira terá mais tranqüilidade para continuar seu trabalho junto aos dirigentes desconfiados.

Os jogadores também não pensam de outra forma. “Não quero nem pensar no que irá acontecer aqui dentro se formos eliminados. Estamos pensando apenas na classificação e vamos buscá-la”, afirmou o volante Fábio Simplício, que retorna ao time após cumprir suspensão na última partida.

Além de evitar mudanças, os jogadores são-paulinos também querem manter vivo o sonho de retornar à Copa Libertadores da América. O clube do Morumbi busca esse objetivo desde 1994, quando disputou a competição pela última vez, e vem naufragando em suas tentativas.

A Copa do Brasil é considerado o caminho mais curto para o torneio sul-americano e ninguém no Morumbi quer perder essa oportunidade. “É nossa prioridade no primeiro semestre, afinal queremos voltar para a Libertadores. Temos condições e vamos buscar o resultado”, afirmou o meia Kaká.

O discurso do camisa oito são-paulino foi repetido pelo restante do elenco. “Não temos para onde correr. Temos time para reverter o resultado. Basta jogar o que sabemos”, disse o atacante Reinaldo. “Todos estão concentrados neste objetivo”, acrescentou o zagueiro Régis.

Equipes
O técnico Oswaldo de Oliveira deverá ter todos os titulares na partida desta quarta-feira contra o São Raimundo. O único desfalque será no banco. Itamar, substituto imediato de Luís Fabiano e Reinaldo, está suspenso por ter sido expulso no primeiro jogo. Leonardo, com dores no púbis, é dúvida.

Destaque para o retorno do volante Fábio Simplício e do meia Ricardinho e para uma modificação na defesa. O zagueiro Régis foi sacado pelo treinador, que preferiu deslocar o lateral-esquerdo Gustavo Nery para o setor ao lado de Jean.

Pelo lado do São Raimundo, Aderbal Lana está fazendo mistério para anunciar o time que estará em campo no Morumbi. Ele só divulgará seus titulares nos vestiários momentos antes da partida. A única certeza é a ausência do volante Alberto, que está com um estiramento na coxa.

SÃO PAULO x SÃO RAIMUNDO

Data: 12/03/2003 (quarta-feira)
Local: estádio do Morumbi, em São Paulo
Horário: 20h30
Árbitro: Leonardo Gaciba (RS)
Transmissão: Sportv

São Paulo
Rogério Ceni; Leonardo (Gabriel), Jean,Gustavo Nery e Fabiano; Maldonado, Fábio Simplício, Ricardinho e Kaká; Reinaldo e Luís Fabiano
Técnico: Oswaldo de Oliveira

São Raimundo
Iuna; Wilson Rincão, Isaac, Ademir e Guára; Doriva, Reginaldo, Sydney, Valdenir e Zedivan; Delmo
Técnico: Aderbal Lana