São Januário pode ser interditado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 29 de setembro de 2003 as 13:57, por: cdb

Mesmo que não haja tempo hábil para a realização do julgamento dos incidentes ocorridos após o jogo contra o Coritiba – o ônibus da delegação alviverde foi invadido por torcedores na última quarta-feira e houve agressão e roubo -, o Vasco provavelmente terá de enfrentar o Juventude, no dia 9 de outubro, fora de São Januário.

De acordo com o presidente do STJD, Luiz Zveiter, há boas chances de o estádio ser interditado até que seja proferida a decisão oficial: “O julgamento só deve acontecer na próxima semana, devido aos trâmites legais, mas São Januário pode ser interditado preventivamente”, afirmou.

Zveiter considerou antiético opinar sobre o caso, pois terá de se pronunciar posteriormente em sessão da Comissão Disciplinar do STJD. Por outro lado, pôde adiantar em que artigos do Código Brasileiro Disciplinar de Futebol (CBDF) o Vasco pode ser enquadrado.

“O caso será analisado preliminarmente por um procurador que determinará se cabe utilizar o artigo 297 ou o artigo 300. Não quero falar mais nada, pois vou participar do julgamento”, concluiu.

Em entrevista à Rádio Tupi, o vice-presidente de futebol do Vasco, José Luís Moreira, defendeu a absolvição do clube: “Não há motivo para que São Januário seja interditado, pois o estádio é tão bom ou melhor do que os outros. Mas, tratando-se de Vasco, a coisa toma outro rumo, outra dimensão.”

Confira o disposto nos artigos 297 e 300 do CBDF:

Art. 297: “Deixar de manter sua praça de desportos em condições de assegurar plena garantia ao árbitro, auxiliares, representantes, delegados, atletas e representações de associações ou entidade dirigente. Pena: multa e suspensão por tempo indeterminado.

Art. 300: Deixar de tomar providências capazes de prevenir ou reprimir desordens em sua praça de desportos, inclusive deixando de prevenir ou reprimir o lançamento de objetos no campo, quando partidos do recinto reservado ao quadro social. Pena: multa e interdição de um a três jogos.