São Caetano e Atlético-PR fazem final do Brasileirão em Curitiba

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de dezembro de 2001 as 05:12, por: cdb

O Campeonato Brasileiro já tem a sua final definida e será disputada por São Caetano x Atlético-PR. A primeira partida será em Curitiba, no próximo dia 16. Vale a pena ressaltar que nas 31 edições do Campeonato Brasileiro nunca teve uma final repetida.
O Atlético-PR conquistou sua vaga após vencer o Fluminense, em Curitiba, por 3 a 2. Os gols foram marcados por Alex Mineiro (3) e por Magno Alves (2).
Essa é a primeira vez que o clube paranaense chega a final do Brasileiro. A sua melhor campanha foi em 1983, quando chegou a semifinal, perdendo para o Flamengo, campeão daquele ano.
A partida era a oportunidade de Kléber fazer seu 100º gol com a camisa atleticana e para segurar o título da equipe com o melhor ataque, que até o início do jogo tinha 60 gols marcados. O Atlético-PR fizeram gols em todos os jogos que disputou em casa. Já o Fluminense foi o único time a vencer os paranaenses nesse Campeonato em Curitiba. A defesa do tricolor carioca era a 2º melhor defesa do Brasileiro.
Os dois times entraram em campo fazendo uma forte marcação e por conta disso aconteceram várias jogadas mais ríspidas. Mas o árbitro Paulo César de Oliveira segurou os ânimos, só que para isso, ele teve que usar seus cartões logo nos primeiros minutos. O zagueiro Régis fez falta em Adriano e levou cartão amarelo.
O jogo dava sinal que seria bastante equilibrado e com muitos cartões. E aos 2 minutos, Adriano aproveitou sobra do escanteio e mandou uma bomba de fora da área, mas a bola foi para a linha de fundo, passando pela trave direita do goleiro Murilo.
O Fluminense só respondeu aos 7 minutos com Roger, que mandou uma bola na trave direita do goleiro Flávio.
E com os dois times exercendo forte marcação, saiu mais um cartão amarelo, desta vez para os donos da casa. Kleberson fez falta em Fernando Diniz por trás.
Aos 15 minutos, Alex Mineiro começou a infernizar a zaga tricolor. Ele sobe sozinho na área e certa uma cabeçada no travessão do gol de Murilo.
O Fluminense, que precisava da vitória, estava todo recuado e jogando nos contra-ataques, já o Atlético-PR, que se classificava com o empate, pressionava o clube carioca. Mas o Fluminense atacava bem e aos 20 minutos, Fernando Diniz recebeu na intermediária e chutou forte, mas o goleiro Flávio defendeu sem dificuldades.
Os dois times continuavam criando boas oportunidades, mas os paranaenses tinham o domínio no jogo. E o atacante Kléber desperdiçou a melhor chance do Atlético-PR no primeiro tempo. Ele driblou três marcadores e invadiu a área sozinho, mas na hora de finalizar chutou para fora.
E a máxima do futebol prevaleceu e como quem não faz leva, o Fluminense abriu o marcador aos 43 minutos com Magno Alves. Sidney lançou o atacante na área, que chutou rasteiro no canto direito do goleiro Flávio.
A segunda etapa começa com o rubro-negro paranaense no ataque e aos 3 minutos, Alex Mineiro empata a partida aproveitando a sobra do escanteio.
O tricolor carioca precisava da vitória e aos 21 minutos colocou Roni no lugar de Sidney. Mas a alteração não deu resultado imediato e aos 25 minutos, Alex mineiro fez seu segundo gol no jogo e o segundo do Atlético-PR. Adriano lançou o atacante que se livrou de Régis e tocou na saída do goleiro Murilo.
Em desvantagem no placar, o treinador do Fluminense, Osvaldo de Oliveira, tira Caio, que não estava bem na partida, e coloca o iugoslavo Adjel.
E desta vez a alteração mexe com o time carioca e aos 29 minutos, Magno Alves empata o jogo. O atacante mata a bola no peito, fora da área, e chuta no canto direito do goleiro Flávio.
Aos 31 minutos foi a vez do Atlético-PR fazer substituição. Saiu Kléber e entrou Ilan.
E aos 37 minutos, o goleiro do Fluminense salvou o time de levar o terceiro gol. Alex Mineiro, sozinho, recebeu na área, mas o goleiro Murilo conseguiu desarmar o atacante.
Alex Mineiro estava inspirado e aos 43 minutos fechou o caixão tricolor. Ele chutou da intermediária e acertou o canto esquerdo do goleiro Murilo, para delírio d