São Caetano carimba o passaporte para a segunda fase do Brasileiro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 9 de novembro de 2002 as 19:16, por: cdb

Grêmio e São Caetano empataram em 2 x 2 na tarde deste sábado, no estádio Olímpico, em Porto Alegre. Com este resultado, o Tricolor foi a 37 pontos e ficou um pouco mais próximo da sua classificação para a próxima fase do Campeonato Brasileiro. Já o Azulão alcançou a marca de 44 pontos, garantiu a classificação e manteve o segundo lugar da tabela da competição.

A equipe gremista acabou mantendo o tabu de quatro jogos sem vitórias sobre o atual vice-campeão da Copa Libertadores da América. O time do Anacleto Campanella havia saído vitorioso nos três confrontos anteriores.

Antes de a bola rolar, o técnico Mário Sérgio afirmava que os paulistas iriam primeiramente esperar os avanços dos gaúchos. Na seqüência, tentariam alcançar o gol através de rápidos contra-ataques.

A estratégia, no entanto, foi destruída logo no primeiro minuto. O ala Gilberto avançou com velocidade, pela esquerda, e cruzou para o meia Rodrigo Fabri. O artilheiro gremista chutou de primeira, com extrema violência, abrindo o placar e marcando pela 18ª vez no Brasileirão.

Alguns torcedores que chegaram atrasados sequer viram a bola entrar para o fundo das redes do goleiro Luciano.

Instantes depois, o Tricolor sofreu uma baixa considerável. O veloz atacante Luiz Mário sentiu uma torção no tornozelo direito e teve que ceder o seu lugar para o inexperiente César, recém promovido das categorias de base do clube. O elenco comandado pelo treinador Tite perdeu grande parte do seu ímpeto ofensivo.

O São Caetano, com isso, foi ganhando maiores espaços. O representante do ABC paulista passou a finalizar diversas vezes da intermediária, levando em algumas oportunidades um enorme perigo ao gol defendido por Eduardo Martini.

Aos 41 min, em mais uma dessas conclusões, o volante Capixaba acertou o ângulo direito, sem qualquer chance de defesa para o goleiro adversário. O Azulão atingiu o empate de maneira merecida.

Pouco antes do encerramento da etapa inicial, Rodrigo Fabri discutiu com o zagueiro Fábio Santos. Ambos acabaram recebendo o cartão vermelho do árbitro carioca Vagner Tardelli Azevedo. O auxiliar Marco Venício Freire, também do Rio de Janeiro, teve uma participação decisiva, levantando a sua bandeira e relatando o incidente.

Os donos da casa voltaram para o segundo tempo demonstrando uma enorme superioridade. Marcando a saída de bola do adversário, o Grêmio impediu até mesmo os contra-ataques do Azulão.

Aos 31 min, depois de muita insistência, o Tricolor alcançou o seu segundo gol. Em uma bela jogada individual do volante Tinga, a bola sobrou para o ala Gilberto. Com muito oportunismo, este finalizou na saída de Luciano, no ângulo superior direito.

Aos 39 min, porém, quando o torcedor gaúcho já começava a comemorar uma importante vitória, o time paulista deixou novamente tudo igual no marcador. O lateral-direito Marlon chutou da intermediária, sem maiores pretensões. Desatento, o goleiro Eduardo Martini saltou atrasado e não conseguiu impedir que a bola alcançasse o fundo de suas redes. Praticamente não houve mais lances de perigo.

O Grêmio volta a jogar pelo Campeonato Brasileiro na próxima quinta-feira, diante do Paraná, em Curitiba. Já o São Caetano irá entrar em campo somente no próximo domingo, contra o Santos, em São Caetano do Sul.

GRÊMIO 2 X 2 SÃO CAETANO

São Caetano
Luciano; Marlon, Fábio Santos, Dininho e Serginho; Claudecir, Capixaba, Adãozinho (Anaílson) e Iriney; Adhemar (Vagner) e Robert (Lúcio)
Técnico: Mário Sérgio

Grêmio
Eduardo Martini; Ânderson Polga, Claudiomiro e Roger; Ânderson Lima, Adriano, Tinga, Rodrigo Fabri e Gilberto; Luiz Mário (César / Lauro) e Rodrigo Mendes (Adriano Chuva)
Técnico: Tite

Data: 9/11/2002 (sábado)
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (FIFA/RJ)
Auxiliares: Aristeu Leonardo Tavares (FIFA/ RJ) e Marco Venicio Sá Freire (RJ)
Gols: Rodrigo Fabri, a 1 min do primeiro tempo, e Gilberto, aos 31 min do segundo tempo (Grêmio); Capixaba,