Santos vence o São Paulo e continua em 3º

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 2 de junho de 2003 as 04:46, por: cdb

O Santos foi mais competente que o São Paulo e venceu o emocionante clássico deste domingo por 3 a 2, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro.

Além de manter-se no 3.º lugar, com 21 pontos, o time ganha moral para a partida de quarta-feira contra o Independiente, de Medellín, pela semifinal da Libertadores.

O jogo, que reuniu os dois elencos mais caros do Brasil, marcou a primeira derrota do São Paulo sob o comando do interino Roberto Rojas, há um mês no cargo. A diretoria fará, nesta segunda, contato com o gaúcho Tite para negociar sua contratação.

Um dos protagonistas do duelo, o goleiro Rogério Ceni, liberado na sexta-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva para entrar em campo, falhou no 3.º e decisivo gol do Santos ao rebater a bola em cobrança de falta de Alex. No rebote, Renato, um dos destaques do confronto, marcou. Foi o milésimo gol santista em Campeonatos Brasileiros.

Mesmo muito desfalcado, o São Paulo até que conseguiu equilibrar a partida. Só que pecou em momentos decisivos. Sem Kaká e Ricardinho, o meio-campo mostrou pouca criatividade. O jovem promissor Aílton, lutou, mas não foi eficiente. Júlio Baptista teve fraquíssima atuação.

O lateral Thiago, que ganhou a posição de Leonardo, foi mal. Cometeu infantilmente, em Renato, o pênalti que resultou no primeiro gol santista, feito por Diego. O meia jogou bem, mas seu companheiro Robinho foi discreto.

O time da casa, apoiado pela torcida, controlava a partida. Era ameaçado apenas quando Luís Fabiano pegava na bola. O atacante jogou sozinho e fez o que pôde. Recebeu poucas vezes a bola e não tinha companheiro no ataque. O desempenho de Reinaldo foi pífio. De pênalti, Luís Fabiano empatou e assumiu a liderança isolada da artilharia, com 11 gols.

O Santos voltou melhor na segunda etapa e mereceu recuperar a vantagem, com gol de Fabiano. Rojas demorou para pôr Rico e Kléber na equipe. Os dois equilibraram o clássico e Rico igualou o placar.

Conclusão: o erro de Rogério custou caro ao São Paulo, que caiu para a 6.ª posição.