Santos humilha o Corinthians por 4×2

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 3 de outubro de 2002 as 23:31, por: cdb

A ousadia dos “Meninos da Vila” fulminou a cadência e pragmatismo do Corinthians. Nesta quinta-feira, em pleno Pacaembu, o Santos não tomou conhecimento do Timão e goleou o rival por 4 x 2, com direito inclusive a gol de bicicleta.

Alberto (2) e Elano (2) foram os artilheiros do alvinegro praiano. Diego, que no início da semana previu um placar dilatado, não apenas acertou como foi um dos destaques da equipe de Émerson Leão. Alex (contra) e Leandro descontaram para os donos da casa.

Com o resultado, o Santos chega aos 26 pontos e se aproximou dos líderes do Campeonato Brasileiro. Já o Corinthians, ainda bem colocado, permaneceu com 27 pontos (dois atrás do Juventude e um do São Caetano).

Apesar de não poder contar com Rogério (contundido) e Fábio Luciano (suspenso), o Corinthians começou o clássico dando a impressão que abriria rapidamente o placar. Com Gil, pela esquerda, o alvinegro paulista criava as principais chances.

Porém o Timão não soube aproveitar as oportunidades que criou. Melhor para o Santos, que aos 18min, com muito estilo, calou a Fiel.

Diego fez grande jogada pela direita e cruzou para Alberto. O atacante, de bicicleta, marcou um golaço. “Dentro da área você precisa agir o mais rápido possível. Fui feliz”, comentou o jogador.

O lance desestabilizou o Corinthians que, descontrolado, passou a cometer muitas faltas e atacar de forma desorganizada.

Sempre perigoso nos contra-ataques, o Peixe voltou a balançar as redes aos 31min. Diego cobrou falta na área, Maurinho ajeitou de cabeça e Alberto, de novo, tocou para o fundo das redes de Doni.

A torcida do Santos, em menor número, não parava de gritar. E por pouco não veio a baixo aos 37min, quando Renato perdeu um gol feito.

Vampeta, Renato e Deivid ainda tentaram diminuir a vantagem santista no primeiro tempo, mas sem sucesso. A defesa do Peixe, irregular no início da partida, acertou a marcação e não dava espaços ao adversário.

“Não podemos esmorecer. A equipe precisa sair mais rápida para pegar o Santos aberto”, comentou Gil, no intervalo.

Goleada
Mas o Santos não estava disposto a permitir a reação do seu rival. Tanto, que marcou o terceiro gol logo aos 2min da etapa complementar. Após uma série de troca de passes, Paulo Almeida chutou forte e Doni espalmou. No rebote, Elano conferiu.

Estava muito fácil. Elano, seis minutos mais tarde, aumentou a agonia da Fiel e a alegria dos santistas. Um chute despretensioso desviou em Ânderson e matou Doni.

Na tentativa de buscar uma virada, Parreira trocou Renato e Deivid por Marcinho e Leandro, respectivamente. Deu até certo. Aos 11min, Fabinho cruzou da direita e o zagueiro Alex, de cabeça, marcou contra. Os gritos de “Timão!”, “Timão!” ecoaram pelo estádio.

À beira do gramado, Parreira exigia que os seus jogadores partissem para o ataque. Seus comandados obedeceram mas não estavam em uma noite feliz – nada dava certo. Enquanto isso, Diego continuava puxando contra-ataques e recebendo pancadas.

Leandro, aos 35min, diminuiu para o Corinthians, dando números finais ao clássico paulista.

CORINTHIANS 2 x 4 SANTOS

Corinthians
Doni; Ângelo (Fabrício), Scheidt, Anderson e Kléber; Vampeta, Fabinho e Renato (Marcinho); Deivid (Leandro), Guilherme e Gil.
Técnico: Carlos Alberto Parreira.

Santos
Júlio Sérgio; Maurinho, Pereira, Alex e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Wellington) e Diego (Alexandre); Robinho (Adiel) e Alberto.
Técnico: Emerson Leão.

Data: 3/10/2002 (quinta-feira).
Local: Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu).
Horário: 20h30
Árbitro: Edílson Pereira de Carvalho (FIFA SP).
Cartões amarelos: Fabinho, Gil, Guilherme, Kléber (C); Maurinho (S)
Gols: Alberto, aos 18min e 31min do primeiro tempo; Elano, aos 2min e 8min, Alex (contra), aos 11min. Leandro, aos 35min do segundo tempo