Santo André abre o Mês da Mulher com palestras sobre violência e Lei Maria da Penha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de março de 2012 as 06:39, por: cdb

02/03/2012 – 09:35 Fundo Social de Solidariedade Com Salão Burle Marx lotado, palestrantes destacaram os avanços e enfatizaram a luta pela diminuição dos índices de violência

A presidente do FSS, Denise Ravin, compôs a mesa de abertura dos eventos do Mês da Mulher,ao lado da Vice-prefeita Dinah Zekcer
Fotos: Caio Arruda/PSA

Para a abertura do Mês da Mulher, a Prefeitura de Santo André, por meio do Fundo Social de Solidariedade e da Secretaria de Governo, realizaram nesta quinta-feira (1º de março) a apresentação de palestras voltadas à violência contra a mulher, seguidas de mesa de debate, no Salão Burle Marx. 

Para a juíza Dra. Elaine Cavalcante, do Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra Mulher da Comarca de São Paulo, que apresentou o tema “Os cinco anos de existência da Lei Maria da Penha – Avanços e desafios”, eventos como o organizado pela Prefeitura reforçam um conjunto de ações no combate à violência contra a mulher. “Ainda há um longo caminho a ser trilhado, mas sou otimista. Estamos avançando, com a criação de redes de apoio e campanhas contra violência”, comenta a juíza. 

A psicóloga do Departamento de Saúde do Servidor do município de São Paulo e ex-coordenadora da Casa Eliane de Grammont, centro de referência e atendimento integral às mulheres nos casos de violência doméstica e sexual, Lenira Politano da Silveira ministrou a palestra “O ciclo da violência contra as mulheres” e elogiou a iniciativa de Santo André em promover este debate. A servidora destacou os impactos na saúde, nas perdas econômicas e no desenvolvimento dos filhos e da sociedade em geral, causados pela violência contra a mulher. “A conquista da Lei Maria da Penha foi um passo, um marco importantíssimo. A falta de igualdade ainda é um entrave para alcançarmos uma sociedade plena”, afirma Lenira.  

O violinista Magdiel de Souza Cruz e o violonista Juarez Mario Knok se apresentaram em homenagem às mulheres.
Fotos: Caio Arruda/PSA

“Santo André conta com uma infraestrutura de acolhimento de mulheres em situação de violência e busca dar toda assistência a este segmento”, diz Dinah Zekcer, Vice-prefeita e Secretária de Governo do município. “A igualdade de direitos e a dignidade das mulheres são, afinal, conquistas de toda a sociedade”, completa a Vice-prefeita.  

Denise Ravin, presidente do Fundo Social de Solidariedade e primeira-dama de Santo André, destacou a programação que o município preparou para prestigiar a mulher em março. “A mulher age e trabalha essencialmente com o coração. Quando pensamos na origem da palavra, “cor”, vem de “coragem”, e “ação” significa agir. Que as mulheres continuem assim, agindo com o coração, trazendo muitas coisas positivas”, explica. 

As palestrantes destacaram a decisão do Supremo Tribunal Federal, que, no início de fevereiro, julgou procedente a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 4424) quanto aos artigos 12, inciso I; 16; e 41 da Lei Maria da Penha. A partir da decisão, toda ação penal pública contra o agressor da mulher poderá seguir ou ser iniciada de forma incondicional, ou seja, mesmo sem a representação da vítima. O agressor poderá ser punido mesmo se a mulher recuar da denúncia.  

A organização do evento preparou mais uma homenagem às mulheres, com a apresentação da música “Fascinação”, na voz de Adria Tavares Muniz, acompanhada de Juarez Mario Knok, no violão, e Magdiel de Souza Cruz, no violino, além de “Tema da Vitória”. 

Acompanhe a programação da Prefeitura de Santo André ara o Mês da Mulher.

Mais informações para a imprensa: 

SECOM PSA
Assessoria de Imprensa
Janaína Harada / Eugenio Goussinsky
jhduarte@santoandre.sp.gov.br
01/03/2012