Sacolas plásticas dão lugar a sacolas ecológicas e caixas de papelão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 as 16:25, por: cdb

A parceria entre o Governo do Estado de São Paulo e a Associação Paulista de Supermercados (APAS) criou a campanha, lançada esta semana, “Vamos Tirar o Planeta do Sufoco”, que tem por objetivo conscientizar a população sobre a substituição das sacolas plásticas descartáveis pelas ecológicas e biodegradáveis.

A vida moderna embutiu no consumidor brasileiro o hábito de levar para casa as compras de supermercados nas sacolas descartáveis, que serão a partir de agora, substituídas por caixas de papelão ou sacolas ecológicas.

Segundo estudos apresentados pela APAS, a sacola plástica demora mais de 100 anos para se decompor no meio ambiente. Em todo o mundo são produzidos, por ano, 500 bilhões de unidades, o equivalente a 1,4 bilhão por dia ou um milhão por minuto. No Brasil, um bilhão de sacolas é distribuído nos supermercados mensalmente, por mês são 66 sacolas por brasileiro.

Mudança de hábito
A aposentada, Claudete Firens, 61 anos, moradora do bairro Boa Vista, diz que está preparada para a nova campanha. “Tenho o costume de colocar minhas compras em sacolas plásticas, mas estou me adaptando para substituir estas sacolas pelas ecológicas, assim contribuirei com o meio ambiente”, conta ela.

A estudante Caroline Fernanda Miguel, 17 anos, conta que é adepta da sacola de pano. “Sempre que vou ao supermercado levo comigo uma sacola retornável e quando a compra é grande, utilizo caixas de papelão”, fala a estudante.

Silvio Carlos Remoaldo, 41 anos, pai de Caroline, conta que sempre instruiu as pessoas de sua família a utilizarem sacolas retornáveis. “O primeiro alerta que recebi foi na empresa onde trabalho e levei esta preocupação para a minha família. É conscientização. Oriento a todos a substituir a sacola plástica pela sacola de pano, pois esse pequeno gesto é muito importante para o meio ambiente”, alerta Remoaldo.

O subgerente de uma rede de supermercados em Limeira, Sidney Pierotti, informou que nesta terça-feira, dia 24 de janeiro, foi o último dia de distribuição gratuita da sacola plástica na rede em que trabalha.

“A partir desta quarta-feira (25) disponibilizaremos no caixa apenas as caixas de papelão para que os clientes possam colocar as compras. Quem preferir as sacolas poderá adquirir as retornáveis. Os preços variam de R$ 0,90 a R$ 5,99, dependendo do modelo escolhido. Já as sacolas biodegradáveis custam R$ 0,19 a unidade”, conta ele.

Sidney complementa que os clientes da rede de supermercados em que atua estão aceitando bem a campanha. “Vários clientes já estão substituindo as sacolas plásticas por caixas de papelão ou por sacolas retornáveis, antes mesmo de retirarmos as sacolas plásticas do mercado. É uma mudança de hábito,” finaliza ele.

Lei
Algumas cidades do Estado de São Paulo já possuem leis que obrigam a não utilização das sacolas plásticas. Em Limeira, segundo o secretário de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Bioatividades, Domingos Furgione Filho, está em estudo a elaboração de uma lei própria do município com relação à proibição de uso de sacolas plásticas.

“O trabalho envolverá educação e conscientização da população, além de alternativas ao uso da sacola plástica, como sacolas de papel, de pano ou biodegradável”, explica, emendando que aprova “a campanha (do Governo do Estado e APAS), porém o município aguarda uma regulamentação própria”, conclui o secretário.