Rússia nega visto a Dalai Lama e recebe agradecimento da China

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 26 de setembro de 2003 as 03:34, por: cdb

O governo da China agradeceu ao governo russo por ter negado o visto de entrada ao líder espiritual tibetano, Dalai Lama. Ele é considerado por Pequim uma figura política subversiva que põe em perigo a unidade do País.

O Dalai Lama XIV, que não pode viajar para Rússia há onze anos, pretendia visitar Kalmikia, uma das três repúblicas budistas da Rússia, na próxima quinta-feira.

O reconhecimento de Moscou por parte de Pequim coincide com a visita a China do primeiro-ministro russo, Mijaíl Kasiánov, que chegou na segunda-feira na capital chinesa para a reunião da Organização para a Cooperação de Xangai (OCS), da qual fazem parte a China, Rússia e quatro países da Ásia Central.

Depois da reunião de Kasiánov com seu homólogo chinês, Wen Jiabao, ambos assinaram um comunicado no qual as duas partes ‘se comprometem firmemente a apoiar um ao outro a manter a unidade do país, sua soberania e sua integridade territorial’.

Na última , por outra parte, o Dalai Lama expressou seu desejo de fazer ‘tudo o que for possível’ para solucionar o assunto do Tibete, de onde fugiu para a Índia em 1959 junto a cem mil tibetanos após um levante popular fracassado contra o Exército Popular de Libertação (EPL).

– Estou preparado para encontrar-me com os líderes chineses e esclarecer-lhes minha posição – acrescentou.

O Dalai Lama repetiu em diversas ocasiões que não procura a independência da Região Autônoma do Tibete, mas uma verdadeira autonomia dentro da China.