Roseana sobe na pesquisa e pode liderar união entre PSDB e PFL

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de agosto de 2001 as 17:40, por: cdb

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL), além de um forte impulso nas intenções de voto para as eleições presidenciais de 2002, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira, poderá liderar a aliança entre o PSDB e o PFL, já em prática no Estado do Rio de Janeiro e integrar a chapa que teria, na vice-presidência, o deputado federal Aécio Neves.

A chapa foi lançada, na noite desta segunda-feira, em reunião na sede do PSDB, no Centro do Rio de Janeiro, pela ex-candidata à prefeitura de Niterói, Soraya Santos, mulher do deputado federal Alexandre Santos. Mas a articulação remonta a semana passada, em um jantar onde estiveram Aécio Neves, Roseana Sarney e vários políticos, com e sem mandato, na residência do ex-governador Marcello Alencar, em São Conrado, Zona Sul da cidade.

Roseana Sarney prefere, ainda, não se pronunciar quanto a este novo quadro político. Mas aceitou bem o resultado da pesquisa encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) ao Instituto Sensus, na qual apareceu com 14,1 por cento das intenções de voto em uma das cinco listas de candidatos à Presidência da República. Em todas as listas, no entanto, Lula aparece em primeiro lugar, com entre 27,9 e 33,4 por cento das intenções de voto, segundo a pesquisa do instituto Sensus, encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Em segundo lugar aparece Ciro Gomes, do PPS, com uma intenção de voto que oscila entre 13,9 e 16,9 por cento, segundo a pesquisa realizada de 17 a 23 de agosto entre 2.000 pessoas em 24 Estados. A pesquisa tem margem de erro de 3 por cento.

Mas a surpresa da sondagem foi a forte alta da governadora Roseana, do PFL, que apareceu com 14,1 por cento das intenções de voto em uma das listas.

“É o melhor resultado da Roseana em uma pesquisa”, disse Clésio Andrada, presidente da CNT. “Roseana é a melhor candidata do governo, ela tem feito um bom trabalho no Estado”.

Roseana apareceu com um apoio superior ao dos outros pré-candidatos governistas –o ministro da Saúde, José Serra, o ministro da Educação, Paulo Renato, e o governador do Ceará, Tasso Jereisatti, todos do PSDB.

Em uma das listas foram incluídos Roseana e Serra, com vantagem para a governadora, com 11,2 por cento das intenções de voto, frente a 8,4 por cento para o ministro.

A pesquisa também mostrou uma forte queda no apoio ao governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PSB).

Segundo Andrade, Garotinho foi afetado por sua ligação com um escândalo de corrupção, e por se afastar do bloco de opositores do governo.

De 13,4 por cento, as intenções de voto registradas pelo governador do Rio em julho passaram para entre 8 e 9 por cento em agosto.