Robôs substituem soldados norte-americanos no Iraque

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 13 de abril de 2004 as 17:26, por: cdb

O Exército dos EUA está usando pequenos robôs no lugar de soldados em missões no Iraque e no Afeganistão. As operações não exigem que as máquinas executem tarefas complicadas como defender posições ou atacar soldados inimigos, mas evitam que soldados sejam abatidos em alguns casos.

Foi o que aconteceu na semana passada, quando um dos robôs produzidos pela iRobot Corporation, chamados de PackBot, foi destruído em combate pela primeira vez. Para a empresa norte-americana que construiu a unidade, o evento mostra que uma vida foi salva e que os robôs podem tornar as operações militares mais seguras.

Entre 50 e 100 PackBots estão sendo usados atualmente no Iraque e no Afeganistão para missões como reconhecimento de terreno, localização de explosivos e remoção de artilharia e outras munições que não explodiram e permanecem em campo.

Antes, essas missões eram realizadas por soldados, que saíam a campo e arriscavam suas vidas. Agora, os militares controlam os robôs remotamente e podem realizar as operações sem correr riscos.

Cada unidade do PackBot pesa 19 kg, custa cerca de US$ 50 mil e pode realizar missões em terrenos montanhosos, explorar cavernas e cruzar riachos. Se equipado com um braço especial, o robô pode desarmar armadilhas explosivas, por exemplo.

Na última segunda-feira, a iRobot assinou um contrato estimado em US$ 32 milhões para desenvolver uma nova versão do PackBot, que será menor e mais avançada do que a usada atualmente.