Rio sedia Festival Cinesul com produção íbero-americana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de junho de 2006 as 09:05, por: cdb

Começa nesta quarta feira, no Rio de Janeiro o festival de cinema e vídeo Cinesul. A partir desta edição, a 13ª, que começa vai até o dia 25, o evento passa a se chamar Festival Ibero-Americano de Cinema e Vídeo e não mais latino-americano. Com a mudança, o festival passa a abrigar também a cinematografia de Portugal e Espanha, ampliando ainda mais o espaço já consolidado para as produções dos países participantes. As exibições acontecem no Centro Cultural Correios, Casa França-Brasil, Cinemateca do MAM e Memorial Getúlio Vargas.

Este ano serão 220 produções entre longas-metragens (18) e vídeos de média e curta-metragem (68) em competição e mostras que homenageiam Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha; o montador e professor cubano Nelson Rodriguez e à Escola Internacional de Cinema e TV de San Antonio de los Baños ; além de outras paralelas com temas como Futebol Latino no cinema; Bossas Musicais e Argentina: Pela Verdade e Pela Justiça (O Golpe de 76), entre outras.

O número de inscrições deste ano foi recorde, com cerca de 600 títulos para as mostras competitivas de filmes e vídeos, o dobro do ano passado. Os trabalhos vieram do Brasil, Argentina, Barbados (pela primeira vez), Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, Espanha, México, Nicarágua, Panamá, Peru e Venezuela. Entre os longas que estarão na mostra competitiva estão o mexicano <i>Las Vueltas del Citrillo</i>, de Felipe Cazals; o chileno <i>Sagrada Familia</i>, de Sebastián Campos; o argentino <i>Chiche Bombon</i>, de Fernando Musa e o boliviano <i>Dí Buen Día a Papa</i>, de Fernando Vargas.

Nas mostra Futebol Latino no Cinema serão exibidos filmes sobre as Copas do Mundo e futebol em geral. Alguns títulos: <i>Equador Versus o Resto do Mundo</i>, de Pablo Mogrovejo; <i>Amando a Maradona</i>, de Javier Martín Vazquez, e <i>El Otro Partido</i>, de Miguel Angel Rossi.

Em Bossas Musicais, serão abordados filmes sobre gêneros que se influenciaram ou serviram de contraponto como a bossa nova, o bolero e o tango. Entre os escolhidos estão o recente ]<i>Vinicius</i>, de Miguel Faria Junior e dois clássicos do anos 60: <i>Rio verão e amor</i>, de Watson Macedo; e o documentário <i>Bossa Nova</i>, de Carlos Hugo Christensen.

A mostra Argentina: Pela Verdade e Pela Justiça (O Golpe de 76), organizada pelo INCAA (instituto de cinema argentino) apresenta obras de ficção e documentários que retratam este período do país, em que desapareceram cerca de 30 mil pessoas.

No ano em que completaria 70 anos, Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha, é o grande homenageado do Festival. O ator, autor e diretor ganha uma exposição com cartazes de peças e filmes nos quais atuou. Além disso, será a exibido o premiado filme <i>Carreiras</i>, de Domingos de Oliveira e estrelado por Priscilla Rozembaum, que abre o evento, no dia 14, no Centro Cultural Correios.