Rio monta esquema especial para Réveillon em Copacabana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de dezembro de 2010 as 11:42, por: cdb
Festa em Copacabana é considerada a maior do mundo
Festa em Copacabana é considerada a maior do mundo

A Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil (SMSDC) do Rio preparou um esquema especial de atendimento na orla de Copacabana durante a noite de Réveillon. Seis postos de atendimento estarão à disposição da população, com 140 profissionais de saúde trabalhando durante todo o evento, sendo 62 médicos. Os postos contarão com 66 leitos. O quantitativo é maior que o ano passado, quando foram oferecidos 52 leitos em cinco postos.

Para os casos mais graves, que necessitarem de remoção, 56 ambulâncias UTIs estarão de prontidão. As unidades ficarão em frente ao antigo hotel Méridien (10 leitos), na Rua Duvivier (12 leitos), na Rua Rodolpho Dantas (12 leitos), na Rua Fernando Mendes (10 leitos), em frente ao hotel JW Merriot/Santa Clara (10 leitos) e entre as ruas Xavier da Silveira e Bolívar (12 leitos).

Os postos funcionarão a partir das 17 horas até o término dos festejos. A estimativa é de que cerca de 2 milhões de pessoas assistam à queima de fogos. Todos os postos estarão preparados para atender os casos de emergência, com equipamentos de suporte à vida para a monitoração e estabilização dos pacientes.

Os hospitais municipais Miguel Couto, na Gávea, e Souza Aguiar, no Centro, estarão com suas equipes prontas para dar apoio aos atendimentos mais graves e receber as transferências dos postos montados na praia de Copacabana. Além desses, o Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, e o Salgado Filho, no Méier, também estarão preparados para receber pacientes de Copacabana, em caso de necessidade.

No último Réveillon foram atendidas nos postos montados no bairro 825 pessoas, com a faixa etária de maior atendimento entre 20 e 50 anos. O período de maior demanda foi entre 23h30 e 3h30 da madrugada. As principais causas de atendimento foram alcoolismo, pequenos cortes, dores de cabeça, hipertensão, contusões e entorses.

A Defesa Civil terá também 10 técnicos na coordenação das ações monitoramento e de contingência entre os órgãos envolvidos, caso haja qualquer eventualidade na orla. Foi montado um sistema de comunicação integrado entre todos os órgãos e a Defesa Civil, via canais exclusivos de rádio, para facilitar o intercâmbio entre os envolvidos no evento. Os profissionais ficarão baseados em um Centro Móvel de Operações, na Escola Municipal Dr. Cícero Penna, na Avenida Atlântica.

No último dia do ano, 7 equipes da Vigilância Sanitária Municipal vistoriarão os quiosques de Copacabana para verificar as condições de armazenamento dos produtos, manutenção da temperatura dos alimentos nos equipamentos de refrigeração, além da origem dos produtos e das condições gerais de higiene e organização.