Rio inaugura quarta maior termelétrica do Brasil em Caxias

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 29 de maio de 2006 as 14:20, por: cdb

O Estado do Rio de Janeiro terá a quarta maior termelétrica do Brasil, a partir de quarta-feira, quando for inaugurada a Usina Termelétrica TermoRio, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A usina tornará o Estado – que até 1999 importava 60% da energia consumida -potencial exportador de energia.

A TermoRio, da Petrobras, a maior termelétrica a gás natural do país, que receberá o nome do ex-governador Leonel Brizola, foi construída junto à Refinaria Duque de Caxias (Reduc), e será conectada ao Sistema Interligado Sudeste/Centro Oeste, reforçando ainda mais o abastecimento de energia elétrica fluminense e permitindo ao estado ter um excedente de 20% na capacidade de geração elétrica instalada em relação ao consumo.

O secretário de Energia, Indústria Naval e Petróleo, Wagner Victer, informa ainda que a TermoRio, onde foram investidos US$ 740 milhões na fase de construção, que contou com incentivos fiscais de ICMS concedidos pelo governo do estado, tem capacidade para produzir 1.040 MW.

Victer lembrou também que foi o ex-governo que, em 2000, lançou a pedra fundamental para a construção da TermoRio junto com o então ministro das Minas e Energia, Rodolpho Tourinho.

A solenidade de inauguração, além da governadora e de Victer, terá a presença do presidente e do diretor da área de gás e energia da Petrobras, Sérgio Gabrielli e Ildo Sauer, respectivamente, e do presidente da TermoRio, Carlos Augusto Kierchner, entre outros convidados.

–  Este é mais um exemplo do aquecimento econômico por que passa a Baixada, que receberá, nos próximos anos ,investimentos em torno de US$ 6 bi, responsáveis pela criação de 100 mil empregos. A aceleração do crescimento da região teve início em 1999 com o governo anterior e prosseguiu com a governadora Rosinha Matheus, graças à política de concessão de incentivos fiscais importantes que possibilita esse crescimento – afirmou Victer.

O secretário acrescenta que Duque de Caxias vem contando com investimentos de peso, além da TermoRio e do Pólo Gás-Químico, como as obras de modernização e futura ampliação da Reduc; ampliação da fábrica da Nitriflex e da Polibrasil.

–  Isto sem contar com outros projetos, como a futura construção do anel viário de Campos Elísios – destacou Victer.

A energia que será produzida pela TermoRio será suficiente para atender 4,5 milhões de pessoas, respondendo por 22% da energia elétrica consumida na Baixada Fluminense.