Rio espera vacinar 1,8 milhões de idosos contra a gripe

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 23 de abril de 2006 as 13:17, por: cdb

A secretaria estadual de Saúde do Rio estima que 1,8 milhões de pessoas maiores de 60 anos sejam vacinadas contra a gripe na campanha aberta nesta segunda-feira.


– A vacina é a melhor forma de se prevenir contra a doença – disse o secretário Gilson Cantarino.


A campanha se estenderá até o dia 5 de maio e contará com a participação de oito mil voluntários, que trabalharão em 1.310 mil postos de saúde dos 92 municípios do Estado do Rio de Janeiro. Estarão disponíveis também 600 mil doses da vacina dupla para adultos, que imuniza contra difteria e tétano.


Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde, na campanha de 2005 foram vacinados 1.325 milhão de idosos, o correspondente a 80,96% da população alvo. O resultado superou a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde para a imunização contra a gripe, que era de 70%.


Campanha nacional


Com o slogan Viva melhor – Vacine-se contra a gripe, a oitava edição da Campanha Nacional de Vacinação do Idoso começa nesta segunda-feira e vai até o dia 5 de maio. A meta do Ministério da Saúde é atingir 11 milhões de pessoas com 60 anos ou mais, o que representa 70% dos 15,7 milhões de idosos do país. Esse é o segmento da população mais vulnerável a doenças como a gripe, que pode trazer sérias complicações à saúde.


A vacina diminui o risco de contrair a doença em até 90% dos casos. A estimativa do ministério é que a vacinação pode evitar cerca de 40 mil internações resultantes por complicações causadas pela gripe, assim como reduzir o número de mortes. Estudos internacionais estimam que a vacina reduz em até 50% a mortalidade entre a população acima de 60 anos.

Durante a campanha, os idosos também poderão atualizar a carteira de vacinação e receber doses contra difteria, tétano, febre amarela e pneumococos (bactérias que podem causar a pneumonia).


Para o dia 29 está prevista mobilização de 251,3 mil pessoas (entre servidores e voluntários), em 73,7 mil postos de vacinação em todo o país. Serão utilizados 27,7 mil veículos para a locomoção das equipes, incluindo carros, barcos e até um avião.


Neste ano, o Ministério da Saúde investiu R$ 130,5 milhões na campanha – R$ 118,6 milhões foram aplicados na compra de 18,6 milhões de doses contra o vírus influenza, que causa a gripe. O restante foi usado para comprar 240 mil doses contra pneumococos, 4 milhões de doses contra difteria e tétano e 1 milhão de doses contra febre amarela. O governo federal também repassou R$ 4,8 milhões para estados e municípios investirem em ações de mobilização.

 

No ano passado, o Brasil superou a meta e vacinou 83,9% da população com mais de 60 anos. A campanha segue a re