Rio comemora 10 anos sem aftosa com campanha de vacinação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 10 de março de 2007 as 15:14, por: cdb

Os 10 anos sem registros de febre aftosa no rebanho bovino no estado do Rio de Janeiro foram comemorados neste sábado com o início da primeira etapa de vacinação contra a doença deste ano. A campanha foi lançada pelo governador, Sérgio Cabral Filho, na Fazenda da Barra, em Barra de São João. A expectativa é vacinar nos próximos três meses cerca de dois milhões de bovinos.

O secretário de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento do estado, Christino Áureo, informou que o estado produz cerca de 110 mil toneladas de carne bovina por ano, o que corresponde a apenas 20% do consumo anual no Rio de Janeiro. Parte da produção de carne bovina do estado é exportada para os mercados norte-americano e europeu.

O secretário ressaltou que a maior parte da carne bovina brasileira exportada passa pelos portos do Rio e de Sepetiba, o que mostra a importância da manutenção da área livre da febre aftosa.

– É importante que a gente possa manter nossa área livre de febre aftosa, porque isso é o elemento indispensável para que o estado possa não só exportar uma parte de sua produção quando necessário, mas principalmente porque os portos do Rio e de Sepetiba são unidades exportadoras para outros estados e países.

A legislação brasileira estabelece que os custos com a vacinação contra a febre aftosa são de responsabilidade dos produtores. Cada dose custa cerca de R$ 1. No entanto, o secretário de Agricultura informou que o governo do estado faz doações para os produtores familiares com renda baixa e também assume os gastos com a vacinação em animais criados à beira de estradas ou ao redor de lixões.

– Nesses casos usamos a chamada pistola oficial, que é uma vacinação obrigatória para proteger o rebanho e eliminar possíveis focos da doença – explicou.

Além do Rio de Janeiro, os estados da Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo e Ceará deram início à primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa neste mês de março. A segunda etapa está prevista para setembro.